Brasil tem mais igrejas do que escolas e unidade de saúde juntos

Igrejas
Foto: Luis Quintero/Pixels

O Brasil surpreende com uma estatística inusitada: possui mais estabelecimentos religiosos do que o total de instituições de ensino e de saúde juntos. A divulgação foi do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados do Censo 2022, revelam que o país conta com 580 mil estabelecimentos religiosos de todos os tipos.

Pela primeira vez, o IBGE realizou o mapeamento de todas as coordenadas geográficas. Além dos tipos de edificações presentes nos 111 milhões de endereços cadastrados durante a pesquisa. Os estabelecimentos religiosos, que incluem igrejas, templos, sinagogas e terreiros de todas as religiões, totalizam 579,7 mil, o que significa uma média de 286 para cada 100 mil habitantes.

Maior concentração

A Região Norte do Brasil lidera, concentrando a maior relação entre o número de estabelecimentos religiosos e a população. Nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, há um total de 79.650 igrejas, equivalendo a uma média de 459 para cada 100 mil habitantes, quase o dobro da média nacional.

O Acre se destaca como o líder nacional, com 554 igrejas para cada 100 mil habitantes, seguido de Roraima e Amazonas, ambos com 485 para cada 100 mil. Por outro lado, a região Sul (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) possui a menor relação entre o número de igrejas e a população, com 226 para cada 100 mil.

Além dos estabelecimentos religiosos, o levantamento do IBGE revela outras informações importantes sobre os endereços do Brasil. A maioria dos endereços consiste em domicílios particulares, totalizando 90,6 milhões. Em segundo lugar, encontram-se os estabelecimentos comerciais com “outras finalidades”, como comércio, prédios culturais ou públicos, somando 11,7 milhões. Também são identificados 4 milhões de estabelecimentos agropecuários. Além disso, são 3,5 milhões de edificações em construção e 104,5 mil domicílios coletivos, como hotéis, presídios e asilos.

O IBGE reforça que a precisão desse levantamento é fundamental para o planejamento urbano e a formulação de políticas públicas. Os dados podem ser úteis para o mapeamento de domicílios afetados por fenômenos naturais e para a oferta de serviços de acordo com a densidade demográfica.

Os números do Censo 2022, divulgados desde junho de 2023, também trouxeram informações relevantes sobre a demografia brasileira. A diminuição do número estimado de habitantes, o envelhecimento da população, o aumento das comunidades quilombolas. Além disso, houve o crescimento da população indígena e mudanças na autodeclaração racial da população.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado