Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Geldo Machado avalia efeitos da nova Taxa Selic

Ex-banqueiro Geldo Machado, controlador do grupo financeiro Valorize Cred e presidente do Sinfac (CE, PI, MA, RN).

No cenário econômico de 20/03, a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic de 11,25% para 10,75% atraiu atenção. Este sexto corte consecutivo desde agosto de 2023 indica a estratégia cautelosa do Banco Central para impulsionar a economia e controlar a inflação. Em meio a essas mudanças significativas, entender a visão de empresários do mercado financeiro é importante para avaliar os efeitos na economia, nos investimentos e no consumo.

Para explorar essas questões, conversamos com empresário Geldo Machado, presidente do grupo financeiro ValorizeCred e do SINFAC (Sindicato das Sociedades de Fomento Mercantil Factoring) das regiões do Ceará, Piauí, Maranhão e Rio Grande do Norte. Com uma visão abrangente do setor financeiro e um profundo entendimento das dinâmicas empresariais, com exclusividade ao Economic News Brasil, Machado avalia como a redução da Selic afeta tanto o macro quanto o microambiente econômico.

Confira entrevista:

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

Perspectivas Após Redução da Selic

ENB: Com o Copom reduzindo a Selic para 10,75%, qual é sua avaliação sobre este movimento?

GM: É uma decisão acertada que reflete um esforço contínuo em equilibrar a economia. A redução da Selic, que agora está no seu ponto mais baixo desde fevereiro de 2022, tem potencial para dinamizar o mercado, diminuindo o custo do crédito e incentivando investimentos.

Impacto Econômico da Decisão

ENB: Como esse corte afeta o ambiente de negócios no Brasil?

GM: Diretamente, facilita o acesso ao crédito tanto para consumidores quanto para empresários. Isso estimula o consumo e os investimentos, criando um ciclo virtuoso de crescimento econômico. Esse ambiente mais favorável pode acelerar a recuperação em setores chave da economia.

Expectativas e Projeções do Mercado

ENB: O mercado projeta a Selic em 9% ao fim de 2024. Qual sua visão sobre estas expectativas?

GM: São projeções alinhadas com o contexto de melhoria gradual da economia. Se o Banco Central mantiver essa trajetória de ajustes cuidadosos, conseguiremos um cenário bastante positivo, com inflação controlada e crescimento sustentável.

Metas de Inflação e Estratégias Futuras

ENB: Considerando as metas de inflação e as recentes projeções, como vê o papel do Banco Central neste contexto?

GM: O Banco Central tem desempenhado um papel fundamental em navegar por esse período desafiador. Ajustar a Selic é uma ferramenta poderosa para controlar a inflação. Estou otimista de que as estratégias adotadas estão nos encaminhando na direção certa para alcançar as metas de inflação estabelecidas.

Reflexões Finais

ENB: Algum comentário final sobre o atual cenário econômico?

GM: Estamos em um momento de transição, com sinais de recuperação econômica. As decisões do Copom, especialmente a recente redução da Selic, são passos importantes nesse processo. Mantenho uma visão positiva para o futuro, esperando que continuemos a ver melhorias que beneficiem todos os brasileiros. Na próxima reunião, acredito que o Copom possa reduzir a taxa em um nível maior, caso a inflação esteja sob controle. Vamos torcer para que isso aconteça.

“A visão de Geldo Machado sobre o impacto positivo da redução da Selic reforça a importância de políticas econômicas ajustadas para estimular o crescimento e controlar a inflação. A perspectiva otimista do empresário é um reflexo das expectativas de melhorias no ambiente de negócios e na economia como um todo”, comentou Jackson Pereira Jr., articulista de negócio e economia do Economic News Brasil.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado