Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morre em queda de helicóptero

Ebrahim Raisi foi eleito em 2021 e tinha mandato até 2025

Ebrahim Raisi, presidente do Irã
(Imagem: divulgação/site oficial da Presidência do Irã)

O presidente iraniano, Ebrahim Raisi, morreu aos 63 anos na queda de um helicóptero, confirmou o Ministério das Relações Exteriores do Irã nesta segunda-feira (20). Raisi venceu a eleição em 2021 e tinha mandato até 2025. Ele era a segunda pessoa mais importante do Irã, atrás apenas do aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do país e de quem o atual presidente era um protegido e possível sucessor. A morte dele deve desencadear uma disputa feroz pelo cargo.

Segundo a imprensa oficial iraniana, o helicóptero caiu numa região montanhosa do Irã em razão das más condições climáticas durante um voo que transportava o presidente e outras autoridades que voltavam do Azerbaijão. Assim, a queda da aeronave ocorreu entre as aldeias de Pir Davood e Uzi, na província iraniana de Azerbaijão Oriental, cerca de 600 km a noroeste de Teerã, a capital iraniana. Além de Ebrahim Raisi, a queda matou o chanceler do Irã, Hossein Amirabdollahian.

Busca e resgate

A queda do helicóptero ocorreu por volta das 13h (no horário local, 6h no horário de Brasília), mas equipes de resgate encontraram a aeronave cerca de 12 horas depois. Além das dificuldades de acesso ao local, o tempo ruim dificultava os trabalhos de resgate. Então, os integrantes do Crescente Vermelho iraniano avistaram o helicóptero depois que a Turquia enviou um drone com sensores de calor para identificar o local da queda. Inicialmente, o ministro do Interior iraniano informou que o helicóptero que levava o presidente teria feito um pouso forçado. Mais tarde, a imprensa oficial informou que a aeronave havia sofrido um acidente em razão das más condições climáticas.

Publicidade

Além de Ebrahim Raisi e do chanceler, a aeronave transportava Malek Rahmati, governador da província iraniana do Azerbaijão Oriental, e Hojjatoleslam Al Hashem, líder religioso. A imprensa oficial informou mais cedo que não havia sinal de sobreviventes no local da queda, no entanto, as mortes dos dois ainda não foram confirmadas. O primeiro vice-presidente deve assumir e convocar eleições em até 50 dias.

Eleição presidencial

O Conselho de Guardiães da Constituição impediu vários adversários de participar da eleição de 2021. Ebrahim Raisi venceu a eleição em 1º turno, garantindo um mandato de quatro anos. Entre os impedidos estavam o ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad, o ex-presidente do Parlamento Ali Larijani, o atual vice-presidente Es-Hagh Jahanguiri e o reformista Mostafa Tajzadeh. A eleição teve abstenção recorde.

Histórico polêmico

Na década de 1980, Ebrahim Raisi participou das chamadas comissões da morte, que levaram à execução de cerca de 5 mil militantes opositores que se voltaram contra o regime dos aiatolás. Sendo assim, em 2019, os Estados Unidos impuseram sanções a ele por conta da participação nas mortes. Em 2022, já como presidente do governo iraniano, ele reprimiu violentamente os protestos que pediam justiça por Mahsa Amini. Na época, a jovem morreu três dias após a polícia prendê-la por não usar adequadamente o véu em público. De acordo com a Agência de Notícias de Ativistas de Direitos Humanos (Hrana), os protestos resultaram na morte de mais de 500 manifestantes. Na ocasião, ele afirmou que o Irã deveria “lidar de forma decisiva com aqueles que se opõem à segurança e à tranquilidade do país”.

Tensão internacional

No plano internacional, o Irã viveu uma escalada de tensão com Israel. Em 1º de abril, um ataque à embaixada do Irã na Síria matou sete membros da Guarda Revolucionária Iraniana. Sendo assim, em resposta, no dia 13 de abril, o Irã lançou um ataque contra Israel, que retaliou em 18 de abril.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado