Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Valorizando o verde: veja a diferença entre ativos verdes e ambientais

Investimentos em ativos ambientais crescem devido à sustentabilidade

Heloisa Baldin, CEO da Iwá (Foto: Divulgação)

Nos últimos anos, as discussões sobre sustentabilidade alcançaram um novo patamar, impulsionando uma mudança primordial no cenário corporativo. A responsabilidade ambiental tornou-se um componente essencial na estratégia de negócios das empresas, indo além do mero idealismo. Esse movimento tem levado o setor financeiro a repensar seus modelos de investimento.

Cada vez mais, os investidores estão reconhecendo o potencial dos ativos ambientais como fontes lucrativas que promovem um equilíbrio entre crescimento econômico, proteção ambiental e bem-estar social. Heloisa Baldin (foto), CEO da Iwá, uma gestora de recursos focada em ativos ambientais, destaca que esse tipo de investimento, além de gerar retornos financeiros sólidos, impulsiona a inovação em tecnologias verdes e a conservação de recursos naturais.

A Evolução dos Ativos Ambientais

Com o passar do tempo, os ativos ambientais evoluíram além de simplesmente mitigar riscos, tornando-se também identificadores de oportunidades. O setor financeiro percebeu que a aquisição dessas qualificações não é só uma questão de escolha ética. Além disso, é uma medida pragmática para proteger investimentos e garantir sustentabilidade a longo prazo.

Publicidade

Estima-se que, até 2025, 30% de todos os ativos ESG (ambientais, sociais e de governança) sejam ativos ambientais.

Leia Também:

Estratégias Sustentáveis e Créditos de Carbono

A previsão é que, nos próximos anos, os ativos ambientais ocupem um papel ainda mais significativo no cenário econômico global, impulsionado por tendências emergentes, como a redução das emissões de carbono. Estratégias como créditos e precificação de carbono estão se consolidando como ferramentas importantes para incentivar a transição para uma economia de baixo carbono. Essas estratégias oferecem oportunidades de investimento e criam um ambiente econômico mais sustentável e resiliente a longo prazo.

Os créditos de carbono representam uma unidade de medida usada para quantificar a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE) de uma determinada fonte ou projeto. Empresas que conseguem reduzir suas emissões de forma eficaz podem vender créditos de carbono, ajudando a compensar os custos associados à implementação de tecnologias mais limpas e sustentáveis. Além disso, essas empresas melhoram sua imagem e demonstram comprometimento com a sustentabilidade, o que pode atrair investidores, clientes e parceiros comerciais.

Diversificação de Ativos Verdes

Com foco em diversas classes de ativos, incluindo créditos de carbono, combustíveis renováveis, reflorestamento, recuperação de solos, gestão de recursos hídricos e energia renovável, a Iwá se destaca. A empresa se posiciona como um dos principais players deste mercado em crescimento sustentável.

Heloisa Baldin afirma que, ao mobilizar capital para projetos que promovem práticas sustentáveis, a Iwá visa gerar retornos financeiros sólidos. Além disso, a empresa busca catalisar uma mudança positiva em direção a um mundo mais verde e sustentável.

O que são Ativos Ambientais?

Os ativos ambientais podem ser definidos como investimentos que uma empresa ou organização faz visando a sustentabilidade ambiental e a redução dos impactos gerados por suas ações. Exemplos incluem maquinários energeticamente eficientes e o aperfeiçoamento de processos produtivos. Recentemente, outros tipos de ativos ambientais, especialmente no agronegócio, vêm ganhando popularidade.

Ativos ambientais representam investimentos realizados por empresas com o propósito de mitigar os impactos ambientais de suas operações, mesmo que os benefícios sejam percebidos apenas a longo prazo. Tais recursos são direcionados para a eliminação ou redução de danos ao meio ambiente, indo além das exigências legais. Alguns exemplos incluem:

  • Implementação de tecnologias limpas: Investir em processos produtivos mais eficientes e menos poluentes;
  • Tratamento de efluentes: Adotar sistemas que garantam a devolução da água ao meio ambiente em condições adequadas;
  • Reciclagem de materiais: Reduzir o consumo de recursos naturais e o volume de resíduos gerados;
  • Reflorestamento: Recuperar áreas degradadas e aumentar a biodiversidade;
  • Compra de créditos de carbono: Compensar as emissões de gases de efeito estufa.

Diferença entre Passivo e Ativo Ambiental

Ativos ambientais representam uma oportunidade para organizações se destacarem no mercado. Elas assumem um papel de liderança, investindo em práticas ambientalmente responsáveis. Isso gera benefícios para a empresa, o meio ambiente e a sociedade. Passivos ambientais são o resultado de danos causados ao meio ambiente pelas atividades de uma companhia. Eles representam a obrigação legal e moral da empresa de reparar esses danos. As empresas assumem os custos de recuperação e compensação ambiental, como a contaminação do solo e da água, degradação de áreas florestais, poluição do ar e emissão de gases de efeito estufa.

Os investimentos em ativos ambientais estão transformando o setor financeiro. Eles trazem à tona a importância de equilibrar crescimento econômico com proteção ambiental e bem-estar social. Com estratégias que incluem créditos de carbono e tecnologias limpas, os investidores podem obter retornos financeiros sólidos. Eles também contribuem para um futuro mais sustentável. A evolução dos ativos ambientais demonstra que a sustentabilidade é um caminho viável e lucrativo para o setor financeiro. Isso cria oportunidades e promove um ambiente econômico resiliente e equilibrado.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado