BNDES selecionará fundos para apoiar negócios com impacto socioambiental

Será avaliada a estrutura da proposta, considerando-se a tese de impacto do fundo e dimensões como a estratégia de formação de portfólio e o investimento em empreendimentos oriundos de regiões periféricas
Será avaliada a estrutura da proposta, considerando-se a tese de impacto do fundo e dimensões como a estratégia de formação de portfólio e o investimento em empreendimentos oriundos de regiões periféricas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) selecionará até três fundos de investimento em participações (FIPs) voltados a negócios de impacto, ou seja, empreendimentos com objetivo de gerar efeitos socioambientais e resultados financeiros positivos de forma sustentável. A ação está em linha com o Plano Trienal 2020-2022 do BNDES e com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

Com o objetivo de atrair investimentos privados para essa finalidade, o BNDES aplicará até 25% do valor total de cada fundo, que terá de captar o volume restante no mercado. A expectativa é que os fundos sejam selecionados no mês de novembro e que sejam levantados ao menos R$ 800 milhões para investimentos, entre recursos do BNDES e de outros investidores.

A chamada dos fundos de impacto conta com duas modalidades, de acordo com o porte das empresas. Serão selecionados até dois fundos na modalidade FIP Impacto MPME, com foco em empresas que apresentem receita operacional bruta de até R$ 90 milhões no ano imediatamente anterior ao aporte do fundo. Nesse caso, cada fundo deverá ter como meta a captação de pelo menos R$ 200 milhões. 

Na modalidade FIP Impacto Livre, poderá ser selecionado um fundo que invista em empreendimentos sem limite de receita, devendo ter como perspectiva um capital comprometido mínimo de R$ 400 milhões.

Considerando-se esses valores, caso sejam contratados os três fundos, a iniciativa do BNDES alavancará pelo menos R$ 800 milhões para investimento em negócios de impacto. Como regra, as equipes dos fundos que concorrerão na chamada pública e suas bases operacionais deverão estar sediadas no Brasil.

Com a iniciativa, o Banco procura estimular negócios que apoiem a transformação da sociedade e a melhoria da vida dos brasileiros sob diversos aspectos, como gestão de resíduos, moradia, acessibilidade digital, meio ambiente, transporte, recursos hídricos, saneamento básico e educação. 

“A chamada pública para a seleção de fundos de investimento de impacto, somada ao novo BNDES Garagem, representa o mais vigoroso apoio integrado, estruturante e sistêmico já efetuado historicamente pelo BNDES. Ela segue a estratégia da BNDESPar, de incentivar o investimento em ações de impacto no país, em prol da agenda AGS (Ambiental, Governança e Social) e de desenvolvimento do mercado de capitais no país”, disse Bruno Laskowski, Diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES.

Será avaliada a estrutura da proposta, considerando-se a tese de impacto do fundo e dimensões como a estratégia de formação de portfólio e o investimento em empreendimentos oriundos de regiões periféricas, a composição de custos e a captação de recursos. 

A comissão, formada por profissionais do BNDES, também avaliará a equipe do gestor, sua diversidade de gênero e de etnia, além da inclusão de pessoas com deficiência, entre outros critérios. Serão ainda analisadas as metodologias de mensuração do impacto socioambiental das empresas investidas. A chamada é mais uma iniciativa do BNDES para transformar a vida de gerações de brasileiros, promovendo desenvolvimento sustentável. As propostas poderão ser submetidas ao BNDES até 13 de agosto.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado