Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Potencial oferta subsequente de ações é planejada pela Hapvida após acordo de R$ 1,25 bilhão em sale and leaseback

(Foto: divulgação)

A Hapvida, visando otimizar e fortalecer sua estrutura de capital, contratou os bancos BofA, UBS Brasil, BTG Pactual e Itaú BBA, além de suas respectivas afiliadas no exterior e assessores legais, para analisar a viabilidade e estruturar uma potencial oferta pública subsequente de ações ordinárias de emissão da companhia, integralmente primária. O limite de capital autorizado corresponde a 395.207.520 ações.

Com o intuito de apoiar essa possível oferta subsequente, a Família Pinheiro, acionista controladora da HapVida, comprometeu-se a exercer seu direito de prioridade e subscrever ações no valor de R$ 360 milhões.

Paralelamente, a Hapvida anunciou nesta segunda-feira (27) a assinatura de um instrumento vinculante para a operação de sale and leaseback (SLB) de dez imóveis de suas controladas, em um acordo no valor de R$ 1,25 bilhão. O veículo de investimento da Família Pinheiro (LPAR), controladora da companhia, foi responsável pela transação. A conclusão do SLB está prevista para 28 de abril.

Publicidade

Essa operação está alinhada à estratégia “asset light” da Hapvida e envolve imóveis provenientes de entidades adquiridas pela companhia desde sua abertura de capital (IPO). A LPAR destacou-se entre seis propostas, todas avaliadas e aprovadas pelos comitês internos e pelo Conselho de Administração da Hapvida.

Em comunicado, a empresa ressaltou que o SLB e o potencial follow-on, ambos com forte participação da Família Pinheiro, evidenciam o comprometimento e a convicção dos controladores e administradores da Hapvida quanto à resiliência de seu modelo de negócios e à postura conservadora em relação à liquidez e endividamento.

Para Jackson Pereira Jr., articulista de Negócios do Economic News Brasil, a Hapvida demonstra conhecimento e habilidade em seu planejamento estratégico ao combinar a operação de sale and leaseback no valor de R$ 1,25 bilhão com o potencial follow-on de ações. Essas ações refletem o compromisso da companhia em manter uma posição sólida no mercado e em investir em seu próprio crescimento sustentável.

“O apoio expressivo da Família Pinheiro, controladora da Hapvida, em ambos os movimentos financeiros, sinaliza a confiança no futuro da empresa e em seu modelo de negócios. A capacidade da Hapvida de se adaptar às condições do mercado e buscar eficiência operacional por meio da estratégia ‘asset light’ é um indicativo de um gerenciamento competente e orientado para o sucesso a longo prazo”, disse Pereira Jr.

“Com a perspectiva de crescimento do setor de saúde e as recentes iniciativas da Hapvida, acredito que a empresa está bem posicionada para enfrentar os desafios futuros e aproveitar as oportunidades que se apresentam. Será interessante acompanhar a evolução da Hapvida no mercado e o impacto dessas ações em seu desempenho financeiro”, completou o especialista em negócios.

A concretização da potencial oferta subsequente depende de condições favoráveis de mercado e aprovações pelos órgãos societários. Até o momento, não está sendo realizada qualquer oferta pública de distribuição de ações ou de quaisquer outros valores mobiliários de emissão da companhia.

Confira o documento:

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado