Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Queda nas vendas do varejo: Maio de 2023 registra retração, revela índice ICVA

(Foto:Ksenia Chernaya/Pexels)

Em meio a oscilações econômicas, maio de 2023 apresentou queda nas vendas do varejo de 2,9%, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Este resultado reflete uma retração, já descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2022.

Nesta queda, o macrossetor de Bens Duráveis e Semiduráveis foi um grande contribuinte, com uma retração de 10,2%, e teve um impacto significativo no índice geral. No mesmo segmento, Vestuário e Artigos Esportivos foram os mais afetados, exibindo a maior queda.

Os Serviços registraram queda de 7,0%, influenciada negativamente pelo setor de Turismo e Transporte. Paralelamente, o setor de Materiais para Construção também retraiu.

Publicidade

Em contraste, o macrossetor de Bens Não Duráveis emergiu como o único com aumento nas vendas, marcando um crescimento de 2,6%. Este resultado foi impulsionado pelo crescimento no segmento de Postos de Combustíveis.

As mudanças no calendário de 2023 praticamente não influenciaram a performance de maio em relação ao ano anterior. Enquanto 2023 teve um domingo a menos e uma quarta-feira a mais em relação a 2022, o feriado do Dia do Trabalho ocorreu em uma segunda-feira em vez de um domingo, o que equilibrou o impacto das variações.

Vale mencionar que o ICVA, ao ser ponderado pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicou que a inflação do varejo ampliado acumulada em 12 meses até maio foi de 2,7%, mostrando uma desaceleração em relação ao mês anterior.

O vice-presidente de Produtos e Tecnologia da Cielo, Carlos Alves, afirmou: “É o segundo mês seguido de queda do Varejo. Nos dois meses, o macrossetor de Bens Duráveis e Semiduráveis foi o principal responsável pelo resultado negativo”.

Os resultados regionais em relação a março de 2022, de acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário, foram: Sul (-0,3%), Norte (-1,1%), Nordeste (-2,5%), Centro-Oeste (-2,6%) e Sudeste (-3,8%).

Este panorama do varejo mostra que os desafios econômicos persistem e que a recuperação dos setores mais afetados será um elemento crucial para os próximos meses.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado