SEBRAE, 50 anos de parceria em prol das micro e pequenas empresas 

Foto: Moraes Neto/FIERN

*Artigo Por Amaro Sales de Araújo

A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte se congratula com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no RN. O Sebrae chega aos seus 50 anos em nosso estado desempenhando um papel fundamental ao fomentar o segmento dos pequenos negócios e ampliar sua competitividade. Aqui, registro de modo especial a dedicação do diretor superintendente do Sebrae no estado, economista José Ferreira de Melo Neto, o amigo Zeca Melo, a quem parabenizo pela liderança, o compromisso e o entusiasmo à frente da instituição, em boa parte dessa jornada e em nome de quem saúdo todo o corpo diretivo, gestores e membros do Conselho do Sebrae-RN.

Em seus 70 anos de fundação, também celebrados neste ano, a Federação e a indústria potiguar muito pôde contar com a parceria do Sebrae no desafio diário de promover o crescimento do Rio Grande do Norte. São 50 anos de uma entidade que tem como principal mérito incentivar o empreendedorismo e impulsionar os pequenos negócios.

Entendemos que, sem dúvidas, uma política de desenvolvimento socioeconômico para o Rio Grande do Norte precisa incluir o estímulo às micro e pequenas. E o Sebrae tem sido, ao longo de cinco décadas, instrumento de sustentação e qualificação de pequenas empresas, além de um articulador em favor do desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte por meio da consolidação deste segmento, que reúne mais de 90% da economia do nosso estado. No tocante à indústria, dados do Atlas da Indústria Estadual, elaborado pelo Observatório da Indústria MAIS RN — núcleo de planejamento estratégico da FIERN — mostram que o estado tem 7.139 indústrias, das quais 88,19% dessas empresas são micro e 10,1% pequenas.

Para se ter a dimensão da relevância desse instrumento, segundo dados do próprio Sebrae, somente no primeiro semestre deste ano, foram realizados mais de 200 mil atendimentos a um público composto por empresários, produtores rurais, Microempreendedores Individuais (MEI), startups e ainda pessoas que almejam empreender e ter o próprio negócio. As ações do Sebrae abrangem formalização, orientação técnica, acompanhamento, acesso a mercados, desenvolvimento de novos processos e modelos de negócios, oferta de consultorias, estímulo à inovação, sustentabilidade e tecnologia, idealização e discussão de políticas públicas para a criação de um ambiente mais favorável aos negócios.

O Sebrae é um parceiro essencial para o desenvolvimento deste segmento. E, junto com a FIERN, vem promovendo formação, propondo melhorias e soluções para elevar a qualidade dos produtos e serviços oferecidos. Parceria em estratégias para impulsionar novas fronteiras de energia, seja ao levar propostas da indústria do RN ao Ministro e de Minas e Energias, seja em participar da missão internacional liderada pela FIERN ao Reino Unido, no início de maio, que abriu perspectivas de cooperação com instituições que têm projetos importantes na área de eólica.

Ou ainda com o “Polo para Aceleração de Negócios de Energias Renováveis do Brasil”, instalado no Hub de Inovação e Tecnologia do SENAI, em Natal, que busca não só oferecer informações para quem quer empreender na área como também melhorar a competitividade de startups, micro e pequenas empresas que já atuam no setor, além de elevar o padrão tecnológico no ramo.

Seja com as interlocuções permanentes entre as duas instituições, seja por meio de parcerias e convênios, a Federação e o Sebrae se coadunam nesta missão de impulsionar as MPEs e protagonizaram, juntos, grandes batalhas e, também, colheram bons resultados, como a sanção da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas do RN, que visa a criação de um ambiente mais favorável, com tratamento diferenciado e simplificado para os micro e pequenos negócios; a Lei do Gás, um marco para o setor de gás canalizado no estado, que regulamentou e promoveu a efetiva abertura do mercado.

Por tudo isso, celebrar os 50 anos do Sebrae é também celebrar meio século de empenho e trabalho em prol do fortalecimento da micro e pequena empresa potiguar.

*Opinião – Artigo Por Amaro Sales de Araújo, industrial, Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern) e diretor 1º secretário da CNI.

**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado