Carne branca: preços caem com baixa nas exportações

preços de carnes
(Foto: Pascal Debrunner/Pexels).

Os preços das carnes de frango e porco registraram queda em janeiro de 2024, revela um estudo do Cepea-Esalq da Universidade de São Paulo, em Piracicaba (SP). Especialistas apontam que a maior disponibilidade interna, impulsionada pela diminuição nas exportações e pela demanda doméstica enfraquecida, foi a principal causa desse fenômeno.

Em comparação com dezembro do ano anterior, as cotações do frango sofreram uma redução de até 2,6%. Especificamente no atacado da Grande São Paulo, o preço médio do frango inteiro resfriado atingiu R$ 7,03 por quilo, marcando uma queda de 2,6%. O frango congelado não ficou para trás, com uma diminuição de 2,5%, estabelecendo o preço em R$ 7,04 por quilo. Essa baixa nos preços reflete um aumento na oferta no mercado brasileiro, principalmente devido à retração do consumo interno. Fatores como despesas adicionais no início do ano e o recesso escolar contribuem para essa tendência.

Seguimento no mercado suíno

O setor suíno enfrentou desafios semelhantes, com os preços do suíno vivo e da carne apresentando quedas em janeiro. A média diária de exportação de carne suína caiu para 3,7 mil toneladas, uma redução de 22,7% em relação a dezembro de 2023. A demanda interna enfraquecida, agravada pelo menor poder de compra e pelo recesso escolar, resultou em uma oferta excedente de suínos, pressionando ainda mais os preços.

Contraste com períodos anteriores

O cenário atual contrasta fortemente com os meses que antecederam o fim de ano, quando os preços das carnes tendiam a subir. No entanto, a disponibilidade elevada de produtos e a demanda retraída culminaram na queda dos preços observada em janeiro.

Perspectivas para o mercado

Enquanto os produtores e comerciantes se ajustam a esse novo cenário, consumidores podem se beneficiar temporariamente dos preços mais baixos. Entretanto, é crucial observar como o mercado se adaptará nos próximos meses, especialmente com a potencial recuperação da demanda interna e externa.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado