Pesquisar
Close this search box.

Preço do arroz deve cair cerca de 20% nas próximas semanas

Preço do arroz deve cair cerca de 20% nas próximas semanas
(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil).

O governo federal antecipa uma redução próxima a 20% nos preços do arroz nas próximas semanas. Durante uma reunião realizada na quinta-feira (14), o presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), discutiu com membros do seu gabinete sobre o recente aumento no custo dos alimentos observado no final de 2023 e começo deste ano, período no qual o grupo alimentação e bebidas teve grande impacto na inflação. Fatores climáticos adversos, como altas temperaturas e chuvas volumosas, afetaram diretamente a produção alimentar, resultando em elevação dos preços.

O Ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, informou sobre a natureza sazonal deste aumento, ressaltando a expectativa de uma redução nos preços ao produtor, que consequentemente levará a uma diminuição nos preços ao consumidor. Carlos Fávaro, Ministro da Agricultura e Pecuária, destacou a expectativa de que essa redução seja efetivamente percebida nos supermercados, especialmente para o arroz, com a renovação dos estoques a preços menores, prevista para a transição de março para abril.

 

A produção de arroz no Rio Grande do Sul, responsável por cerca de 85% do consumo nacional, sofreu impactos devido a enchentes. No entanto, com a colheita em andamento, já se observa uma redução nos preços para os produtores, de R$ 120 para aproximadamente R$ 100 por saca, o que alimenta a expectativa de uma consequente diminuição nos preços finais ao consumidor.

Além disso, foi discutido o plano safra 2024/25, com foco em incentivar a produção de alimentos essenciais como arroz, feijão, milho, trigo e mandioca. Medidas como a facilitação de crédito, formação de estoques públicos e políticas de preço mínimo estão entre as ações planejadas para estimular a produção e, por consequência, reduzir os preços. Carlos Fávaro apontou para a importância da diversificação geográfica da produção agrícola e o incentivo à agricultura familiar como estratégias chave.

A reunião também contou com a presença dos ministros da Casa Civil, Rui Costa, e da Fazenda, Fernando Haddad, além do presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto. O governo sinaliza que, se necessário, outras medidas serão consideradas para assegurar a redução dos preços dos alimentos, beneficiando tanto a agricultura familiar quanto o agronegócio maior. Nos próximos dias, o presidente Lula deverá se reunir com representantes de setores chave do agronegócio para discutir essas e outras ações.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado