Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Varejo cresce 1% em fevereiro e contraria expectativa do mercado

Varejo
(Foto: Pixabay/Pexels)

Contrariando as expectativas do mercado, que antecipava uma queda nas vendas, o varejo brasileiro demonstrou resiliência e crescimento em fevereiro. Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelaram um cenário de avanço tanto para o varejo restrito quanto para o ampliado.

Surpresa positiva no início de 2023

Em uma análise comparativa com janeiro, o volume de vendas no varejo restrito cresceu 1%, superando a estimativa mediana de queda de 1,6% apurada junto a consultorias e instituições financeiras. Esse desempenho não apenas contradisse as previsões mais pessimistas, mas também superou o teto das projeções.

O varejo restrito, ao comparar fevereiro de 2023 com o mesmo mês do ano anterior, registrou um crescimento de 8,2%, muito acima do esperado. No que tange ao varejo ampliado, que inclui itens como veículos e material de construção, observou-se um aumento de 1,2% entre janeiro e fevereiro, contrariando a expectativa de queda.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

Receita nominal reflete o crescimento

Além do volume de vendas, a receita nominal do varejo também apresentou crescimento, com o varejo restrito e o ampliado registrando aumentos de 1,2% e 1,6% respectivamente, em fevereiro, em relação a janeiro. Este crescimento se reflete ainda mais expressivamente na comparação anual, com aumentos de 10,9% e 11,9% para cada segmento.

Análise de desempenho e expectativas futuras

O avanço registrado nos primeiros meses de 2023 sinaliza um momento de otimismo para o setor varejista brasileiro, que enfrentou desafios em anos anteriores. A resiliência do varejo, frente a previsões de queda, reforça a importância de acompanhar as tendências de consumo e adaptar estratégias de acordo com o comportamento do mercado. A continuidade desse crescimento, no entanto, dependerá de uma série de fatores, incluindo as condições macroeconômicas e o impacto das políticas governamentais voltadas para o estímulo ao consumo e à atividade econômica.

Começando o ano em alta

O comércio varejista no Brasil iniciou 2024 em alta, com um crescimento de 2,5% em suas vendas durante o mês de janeiro. Esse avanço, o primeiro desde setembro do ano passado, sinaliza um momento de otimismo para o setor, que superou dois meses de estabilidade e um de queda nos meses anteriores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em janeiro, o varejo operava 5,7% acima do nível pré-pandemia, destacando-se a 0,8% abaixo do pico alcançado em outubro de 2020.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado