Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

TCE identifica irregularidades em transações da Prefeitura de Niterói

Irregularidades na Moeda Social Araribóia. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói)
Irregularidades na Moeda Social Araribóia. (Foto: Divulgação/Prefeitura de Niterói)

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) identificou uma série de irregularidades nas transações financeiras entre a Prefeitura de Niterói e o Instituto E-Dinheiro Brasil. A auditoria apontou o uso indevido de contas e a falta de transparência nos repasses de recursos do Programa Moeda Social Arariboia.

Repasses questionados

Inicialmente, o TCE-RJ observou que mais de R$ 90 milhões foram depositados, entre janeiro e setembro de 2022, em uma conta bancária não especificada no contrato para a gestão do Programa Moeda Social Arariboia. Este programa visa apoiar 31 mil famílias em situação de vulnerabilidade, porém, o gerenciamento dos fundos levantou suspeitas.

Irregularidades em transações: duplicidade de contas

Além disso, foi descoberto que a Prefeitura e o Instituto E-Dinheiro utilizavam duas contas diferentes para administrar o programa, uma prática considerada ilegal conforme um decreto municipal de Niterói, que exige uma conta específica para tais repasses.

conteúdo patrocinado

Gestão de recursos

O Instituto E-Dinheiro Brasil é acusado de se apropriar indevidamente dos rendimentos de investimentos feitos com dinheiro público, além de gerenciar inadequadamente as taxas administrativas. Estas taxas incluem 2% sobre o valor da compra de cada resgate e 1% sobre o valor resgatado pelo comerciante, além de uma taxa variável de boleto de R$1,00 a R$20,00.

Falta de transparência

A auditoria também revelou que o Instituto se recusou a apresentar os extratos bancários solicitados pelo TCE, comprometendo a fiscalização dos valores específicos do programa. Em resposta, a Prefeitura de Niterói assegurou em nota que todos os pagamentos e resgates foram realizados corretamente, apesar das evidências em contrário apresentadas pelo Tribunal. “Não foram constatadas irregularidades na contratação das empresas, feita por meio de adesão a ata de preços, medida regular e comum no âmbito da administração pública”, disse o Executivo municipal.

Medidas do TCE

O TCE-RJ desmembrou as irregularidades encontradas em dois processos, abordando desde a concessão indevida de auxílios até a utilização do programa para fins não previstos. Medidas foram recomendadas para corrigir e cessar as irregularidades identificadas, incluindo a notificação de autoridades municipais para esclarecimentos e possíveis correções.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado