Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Pão de Açúcar vende sua sede por R$ 218 milhões

Venda da sede do GPA repercute no mercado. (Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo)
Venda da sede do GPA repercute no mercado. (Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo)

Na quinta-feira (02/05), o Grupo Pão de Açúcar (GPA) anunciou a venda de sua sede administrativa, localizada na Avenida Brigadeiro Luis Antônio, em São Paulo, por R$ 218 milhões. Esta operação faz parte de uma estratégia mais ampla de desalavancagem financeira que a companhia iniciou em 2023.

Detalhes da operação

A venda foi estruturada como uma operação de Sale and Leaseback, onde o GPA vendeu a propriedade, mas continuará a ocupá-la como inquilino. A transação incluiu apenas a torre administrativa, por R$ 109 milhões, com um contrato de locação estabelecido por um período inicial de 15 anos e uma taxa de capitalização de aproximadamente 9%. O restante da área anexa também foi vendido pelo mesmo valor.

A venda da sede está inserida na estratégia do Grupo Pão de Açúcar (GPA) de diminuir seu endividamento através da alienação de ativos. Previamente, em 2020, o grupo já havia comunicado seu interesse em se desvincular de 71 postos de gasolina, dos quais 70 estão integrados às unidades do Extra, que foram adquiridas pelo Assaí.

conteúdo patrocinado

No último trimestre de 2023, o GPA apresentou um prejuízo líquido consolidado de R$ 303 milhões. Este resultado representa uma redução de 72,5% em comparação ao prejuízo de R$ 1,1 bilhão registrado no correspondente trimestre do ano anterior.

Impacto financeiro da venda da sede do GPA

Do montante total da venda, 82% será recebido pelo GPA em 2024, com os 18% restantes pagos em parcelas até março de 2026. Esta venda é vista como um passo importante no plano da companhia para reduzir sua dívida líquida e fortalecer sua estrutura de capital.

Leia também:

GPA anuncia impacto financeiro após julgamento do STF

Compradores e condições

A parte compradora foi o fundo imobiliário Tellus Properties (TEPP11), que assumiu o compromisso de compra e passará a receber aluguel pelo imóvel. Além disso, um empresário local, Frederico von Ihering Azevedo, também participou da transação, refletindo a confiança no potencial do imóvel e na solidez do GPA como inquilino a longo prazo.

Reflexo no mercado

A operação foi bem recebida pelo mercado, com análises positivas destacando a capacidade do GPA de executar sua estratégia de monetização de ativos não essenciais. As ações experimentaram uma valorização na sessão anterior, crescendo 8,52% após o anúncio de um acordo tributário com o estado de São Paulo que diminuiu a dívida associada ao pagamento de ICMS. Os ativos mantiveram a tendência positiva, com um aumento adicional de 6,29% para R$ 3,38. Ao longo da semana, as ações do PCAR3 registraram um aumento de mais de 20%.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado