Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Rio Grande do Sul enfrenta perdas de R$ 14 bi após enchentes

O governador Eduardo Leite solicitou ajuda federal para recuperação do Estado

Rio Grande do Sul
Eldorado do Sul foi uma das cidades afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul (Imagem: Gustavo Mansur/Secom)

O número de mortes confirmadas em decorrência das enchentes que devastaram o Rio Grande do Sul subiu para 154 nesta sexta-feira (17), conforme informado pela Defesa Civil estadual. As equipes de resgate continuam buscando por 98 pessoas desaparecidas. As fortes chuvas das últimas semanas afetaram mais de 2,2 milhões de pessoas em 461 dos 497 municípios do Estado, segundo o balanço da Defesa Civil gaúcha. O desastre, considerado a maior tragédia climática da história do Estado. Até o momento, deixou mais de 540 mil pessoas desalojadas e feriu 806.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), estimou em R$ 14 bilhões a perda de arrecadação do Estado devido às enchentes. Durante uma entrevista coletiva em Porto Alegre, ele explicou que “estudos preliminares da Secretaria da Fazenda apontam a possibilidade de um impacto de cerca de R$ 14 bilhões na arrecadação do Estado“. No entanto, ele destacou que a estimativa ainda é “prematura”.

 

Publicidade

Veja também: 

Eduardo Leite enfatizou a necessidade de apoio do governo federal para recompor esse montante. Ele afirmou que a suspensão dos pagamentos da dívida do Estado com a União pelos próximos três anos, conforme sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, servirá apenas para “amortecer” as perdas e não como caixa livre para o Rio Grande do Sul investir na reconstrução.

Reconstrução

O governador também indicou que o custo de reconstrução do Rio Grande do Sul superará os R$ 19 bilhões inicialmente estimados. “Esses 19 bilhões preliminarmente apresentados nós já sabemos que será bastante maior. Estávamos olhando especificamente para equipamentos públicos afetados, rodovias, algo de infraestrutura privada“, afirmou. Ele acrescentou que “quando a gente pega todo o impacto econômico, parques industriais, cadeias produtivas afetadas, as necessidades de programas emergenciais… a gente sabe que vai um valor muito maior do que esse“.

Sendo assim, Eduardo Leite afirmou que apresentará uma nova estimativa para o custo da reconstrução apenas quando apurarem todas as perdas.

Leia também:

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado