Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

China investe US$ 47,5 bi em chips para reduzir dependência dos EUA

Novo fundo visa desenvolver cadeia de abastecimento local

Chips - Semicontudores - Semicontudor
(Imagem: Pixabay)

A China anunciou a criação de um fundo de 344 bilhões de yuans (cerca de US$ 47,5 bilhões) para ajudar a indústria de semicondutores. O montante, registrado na última sexta-feira (24), destina-se a desenvolver uma cadeia de abastecimento local e reduzir a dependência tecnológica dos Estados Unidos.

O fundo marca a terceira fase do Fundo de Investimento da Indústria de Circuitos Integrados da China, dobrando o valor levantado nas fases anteriores de 2014 e 2019. A iniciativa busca impulsionar a produção interna de semicondutores, essenciais para a indústria eletrônica.

O Ministério de Finanças da China é o maior acionista do fundo, com 17% do total. No entanto, outros cinco grandes bancos estatais chineses — Industrial & Commercial Bank of China, China Construction Bank, Agricultural Bank of China, Bank of China e Bank of Communications — detêm participações iguais de 6%, segundo a Tianyancha, um banco de dados de informações empresariais chinesas.

Publicidade

O fundo surge em meio a disputas comerciais entre China e Estados Unidos sobre o mercado de chips e semicondutores. Portanto, desde outubro de 2023, os EUA impuseram restrições às exportações de semicondutores avançados e equipamentos de produção de chips para a China, dificultando as remessas de chips de inteligência artificial.

Histórico de conflitos

As tensões comerciais entre China e Estados Unidos intensificaram-se durante a gestão de Donald Trump e continuam até hoje. Em outubro do ano passado, o Departamento de Comércio dos EUA anunciou restrições às exportações de chips relacionados à Inteligência Artificial, alegando preocupações com a segurança nacional e o uso militar das tecnologias.

Taiwan domina a produção de semicondutores, responsável por 60% a 90% da fabricação global de microchips, com a Taiwan Semiconductors Manufacturing (TSMC) como principal fabricante. No entanto, um recente terremoto na região paralisou a produção e trouxe à tona a vulnerabilidade da cadeia de abastecimento global de semicondutores.

Contudo, Taiwan é um ponto crítico no conflito comercial entre China e Estados Unidos. A escalada de tensões na região pode afetar a cadeia de distribuição global de semicondutores, impactando diversas indústrias que dependem desses componentes essenciais.

Leia mais:

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado