Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Eletrobras vende 13 usinas para Âmbar Energia por R$ 4,7 bilhões

Acordo com Âmbar visa metas de descarbonização

eletrobras amazonas energia
(Foto: Divulgação/ Eduardo Tavares).

A Eletrobras concluiu a venda de 13 usinas termelétricas para a Âmbar Energia, parte do Grupo J&F. O valor da transação alcançou R$ 4,7 bilhões. Este acordo está alinhado com o objetivo da Eletrobras de alcançar a neutralidade de carbono até 2030. Adicionalmente, a transação melhora as finanças da empresa ao transferir os riscos dos contratos de energia.

Redução de emissões

Entre as unidades de usinas termelétricas da Eletrobras vendidas, estão várias da Amazonas Energia. Ao final de 2023, esta última tinha uma dívida que beirava R$ 9 bilhões. A maior parte dessa dívida era com a Eletrobras. Conforme comunicado da empresa, “o resultado do processo maximizou a valoração dos ativos. Com isso, alocou-se adequadamente o risco e eliminaram-se imediatamente os impactos da inadimplência relacionados aos contratos de venda de energia”.

 

Publicidade

Além disso, cerca de R$ 1,2 bilhão dos fundos recebidos será através de earn-out, dependendo do desempenho futuro das usinas adquiridas. Os ativos foram transferidos sem dívida ou caixa.

De acordo com o Itaú BBA, “a transação é positiva para a Eletrobras, pois economiza e simplifica seu portfólio de geração. Além disso, reduz a exposição à Amazonas Energia, cuja situação financeira tem sido um peso nos resultados da companhia”.

Viabilização da venda

A decisão de vender as termelétricas faz parte de um plano mais amplo de descarbonização e reestruturação do portfólio da Eletrobras, com foco em impacto social e ambiental. As usinas vendidas incluem Mauá, Aparecida, Santa Cruz, além dos complexos Interior e de Produtores Independentes de Energia. Juntas, elas totalizam 2 GW de capacidade instalada.

Especialistas, como Vitor Sousa, da Genial, consideram o acordo estrategicamente benéfico. Inclusive para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), devido à redução de riscos e melhoria na liquidez da Eletrobras.

Foi acordado que, caso o controle da Amazonas Energia mude, a Eletrobras cederá todos os créditos contra a distribuidora para a Âmbar. Dessa forma, esse arranjo oferece uma nova estratégia para a Eletrobras na gestão de seus recebíveis e na limpeza de seu balanço.

Em suma, a Âmbar, ao adquirir essas usinas, amplia seu portfólio de termelétricas. Isso já incluía cinco unidades, como a recentemente adquirida usina de Candiota. Com esta aquisição, a capacidade total de geração da Âmbar agora é de 4,6 GW.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado