Brasil registra crescimento do PIB, mas retrai em posição no ranking mundial

A economia nordestina deve crescer 2,4%, enquanto a região central do país pode avançar 2,3%. Esses números superam a estimativa média nacional de 1,9%.
Imagem: Pexels

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro cresceu 1,2% no primeiro trimestre de 2021 na comparação com o trimestre anterior e 1% em relação ao mesmo período do ano passado, totalizando R$ 2,048 trilhões. 

O resultado foi acima dos 1% e 0,8%, nas comparações trimestral e anual respectivamente, esperados pelo mercado segundo estimativas compiladas pela Refinitiv, e colocou o país no patamar registrado no quarto trimestre de 2019, antes da pandemia. A expansão da economia brasileira veio dos resultados positivos na agropecuária (5,7%), na indústria (0,7%) e nos serviços (0,4%).

Esse é o terceiro resultado positivo, depois dos recuos no primeiro (-2,2%) e no segundo (-9,2%) trimestres de 2020, quando a economia encolheu 4,1%, afetada pela pandemia. Em valores correntes, o PIB, que é soma dos bens e serviços produzidos no Brasil, chegou a R$ 2,048 trilhões.

Mas, apesar do bom resultado, outras 18 nações tiveram alta superior no mesmo período, deixando o Brasil na 19ª posição da tabela que compara o desenvolvimento econômico de 53 países. Nos números que refletiam o comportamento econômico do 4º trimestre de 2020, o Brasil ocupava a 12ª posição (o país caiu sete posições no ranking).

O ranking global tem a Croácia na liderança, com expansão do PIB de 5,8%. Hong Kong, em segundo lugar, apresentou crescimento de 5,4%. O país latino-americano melhor posicionado foi o Chile, na 4ª colocação, com expansão de 3,2%. 

No ranking o Brasil está acima de países como China, Itália, França, Japão e Reino Unido. A taxa média do ranking ficou em 0,4%. Esse dado levou a uma onda de revisões das projeções de bancos, corretoras e casas de análise para o desempenho da atividade econômica no ano de 2021. Quando não fomentou uma revisão, ao menos colocou um “viés de alta” nos modelos preditivos dos especialistas.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado