Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Ministro das Comunicações tem pedido de busca e apreensão indeferido

Ministro das Comunicações disse que conectará escolas até 2026.
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União-MA), investigado no inquérito que apura desvios de emendas parlamentares por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), teve seu pedido de mandado de busca e apreensão indeferido pelo ministro Luís Roberto Barroso.

Nesta sexta-feira (1º), durante a Operação Benesse da Polícia Federal (PF), a irmã de Juscelino, Luanna Rezende, que é prefeita de Vitorino Freire, no Maranhão, foi alvo de um mandado de busca e apreensão, juntamente com uma medida cautelar de afastamento de suas funções.

Juscelino também está sob investigação no mesmo contexto da operação. Entretanto, o ministro Barroso optou por deferir medidas apenas contra aqueles para os quais havia elementos e indícios de envolvimento em crimes.

A PF havia solicitado autorização para realizar busca no apartamento funcional do ministro, com o objetivo de apreender equipamentos, mas com base em evidências limitadas. Segundo a investigação, a participação de Juscelino estava relacionada à apresentação de emendas parlamentares. Foi essa a razão pela qual o pedido da PF ao STF foi negado.

A defesa de Juscelino Filho negou qualquer irregularidade por parte do ministro. Ainda, afirmou que todas as ações dele como parlamentar e ministro visavam o interesse público e bem-estar da população. A nota ainda destacou que Juscelino não foi alvo de buscas e que o inquérito visa esclarecer os fatos e provar a inexistência de irregularidades.

A Operação Benesse da PF tem como objetivo desarticular uma organização criminosa envolvida em fraudes licitatórias, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, relacionados a verbas federais da Codevasf. A operação envolve 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Luís, Vitorino Freire e Bacabal, no Maranhão. Além disso, inclui medidas cautelares como afastamento de funções públicas e suspensão de licitações.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado