Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Anatel: laboratório especializado em combater “gatonet”

Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira (1º), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deu um passo importante no combate às “TV Boxes” usadas clandestinamente para acessar o sinal de TV por assinatura. A agência inaugurou um laboratório especializado na análise desses equipamentos, que são popularmente conhecidos como “gatonet”. Essa iniciativa é o resultado de um acordo com a Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA). Além disso, faz parte de um plano de ação para coibir o uso de decodificadores clandestinos de TV paga.

No início deste ano, a Anatel tomou medidas rigorosas para combater a oferta ilegal de conteúdo pago por meio desses dispositivos. Além disso, a agência buscou formas de reduzir os riscos de segurança associados aos aparelhos piratas.

De acordo com o superintendente de Fiscalização da Anatel, Hermano Barros Tercius, a agência já apreendeu aproximadamente 1,4 milhão de equipamentos em operações realizadas em conjunto com a Polícia Federal. Em apenas seis meses desde o lançamento do plano, houve 29 operações de bloqueio de TVs Boxes, totalizando 1.466 endereços bloqueados.

As implicações desses dispositivos vão além da simples pirataria. Os “TV Boxes” podem ser controlados por terceiros e usados em ataques hackers do tipo DDoS (negação de serviço distribuída). Eles consistem em acessar repetidamente um site ou aplicativo em um curto período. Essa prática pode sobrecarregar os serviços e causar sua indisponibilidade, afetando tanto alvos governamentais quanto instituições privadas de grande porte.

Estima-se que até 7 milhões de “TV Boxes” acessem conteúdo de forma irregular no Brasil, representando um grande desafio não apenas para a indústria de telecomunicações, mas também para a segurança digital dos usuários, já que esses dispositivos podem ter acesso a dados sensíveis por estarem conectados à rede wi-fi. A iniciativa da Anatel visa combater essa prática ilegal e seus riscos associados.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado