Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Museus franceses para conhecer: visitação bate recorde em 2023

museus franceses
(Foto: Pexels/Vlada Karpovich).

Os museus e monumentos na França, impulsionados por um aumento no turismo, registraram um crescimento significativo em suas visitações em 2023. O Museu do Louvre liderou essa tendência, atraindo 8,9 milhões de visitantes, marcando um aumento de 14% em comparação com 2022, embora ainda não tenha alcançado os números impressionantes pré-pandemia. A administração do Louvre tem como objetivo manter uma média de 30 mil visitantes por dia em 2024.

O Palácio de Versalhes também retornou aos seus números de visitação pré-pandemia, com 8,1 milhões de visitantes, dos quais 18% eram americanos. Um aumento semelhante foi observado nos museus Orsay e Orangerie, que juntos atraíram mais de 5,1 milhões de visitantes, e no Quai Branly, que viu um aumento de 40% em comparação com 2022. Os catorze locais administrados pelos Museus de Paris também bateram recordes, recebendo 5,3 milhões de visitantes em 2023. Além disso, a Universcience, que inclui a Cité des Sciences et de l’Industrie e o espaço Etincelles no Palais de la Découverte, em Paris, registrou 2.455.663 visitas, refletindo um crescente interesse francês pela ciência.

Além disso, os museus menores em Paris também tiveram desempenho notável. O Museu de Montmartre, operado pelo grupo Kléber Rossillon, teve um aumento surpreendente de 44% em suas visitações, alcançando 180.000 visitantes, principalmente devido à popular exposição “Surrealismo Feminino?”, que atraiu mais de 110 mil visitantes em cinco meses.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

De acordo com dados da AFP, o Museu d’Orsay estabeleceu um novo recorde com 3,9 milhões de visitantes, somando-se a isso mais 1,2 milhão de visitantes do museu associado, o l’Orangerie. O Museu d’Orsay é conhecido por abrigar a maior coleção de obras dos mestres impressionistas. Em 2023, suas exposições “Manet-Degas”, “Pastéis, de Millet a Redon” e “Van Gogh en Auvers-sur-Oise, os últimos meses” atraíram um grande número de visitantes.

Saiba mais sobre os museus franceses mais visitados:

 

museu louvre
Museu Louvre (Foto: Pexels/Pixabay).

1- Museu do Louvre

Inaugurado no final do século XVIII, o Museu do Louvre destaca-se como o principal museu da França e um dos mais frequentados globalmente. Originário das coleções da monarquia francesa e dos despojos do Império Napoleônico, o Louvre abriu suas portas em 1793, estabelecendo um paradigma inovador de museu acessível ao público em geral, diferentemente da prática anterior de restringir o acesso às elites.

Bem como, o museu ocupa o Palácio do Louvre, originalmente uma fortaleza do século XII. Este histórico edifício passou por várias ampliações e reformas ao longo dos séculos. Antes de sua conversão em museu, o palácio serviu de residência real para monarcas como Carlos V e Felipe II, que ali armazenavam suas valiosas coleções de arte.

Além disso, o acervo do Louvre abrange aproximadamente 300.000 peças, datadas antes de 1948, exibindo cerca de 35.000 obras ao público. A vasta coleção é meticulosamente categorizada tematicamente, englobando antiguidades do Oriente, Egito, Grécia, Roma e Etrúria. Inclui também a própria história do Louvre e da era medieval do Louvre, pinturas, esculturas, objetos de arte, artes gráficas e arte islâmica, proporcionando uma rica diversidade cultural aos visitantes.

Dentre as pinturas mais célebres, merecem destaque:

– “Monalisa”, de Leonardo da Vinci.

– “A Liberdade Guiando o Povo”, de Delacroix.

– “As Bodas de Caná”, de Veronese.

Em relação às esculturas, sobressaem-se:

– “Vênus de Milo”, da Grécia Antiga.

– “O Escriba Sentado”, do Egito Antigo.

– “Vitória de Samotrácia”, do período helenístico da Grécia Antiga.

versalhes
Palácio de Versalhes (Foto: Pexels/Steve Chai).

2 – Palácio de Versalhes

Reconhecido como Patrimônio Mundial pela Unesco há mais de três décadas, o Palácio de Versalhes é um dos palácios mais famosos do mundo. Sua notoriedade deve-se não apenas à sua arquitetura grandiosa e aos seus extensos e bem-mantidos jardins, mas também ao seu papel significativo na história da França.

Ao visitar o Palácio de Versalhes, os visitantes têm a oportunidade de explorar uma variedade de espaços repletos de arte e história. Neste sentido, destacam-se particularmente a majestosa capela e os Grandes Aposentos do Rei e da Rainha, que são adornados com uma profusão de elementos decorativos.

Por outro lado, a Galeria dos Espelhos, com seus impressionantes 73 metros de comprimento e 375 espelhos, emerge como um dos espaços mais emblemáticos do palácio. É importante ressaltar que foi nesta galeria que, em 1919, se firmou o Tratado de Versalhes, um evento histórico que marcou o fim da Primeira Guerra Mundial.

Além das magnificências do palácio, oferece-se aos visitantes a chance de explorar o Domínio de Maria Antonieta. Este espaço, um refúgio pastoral, é onde a esposa de Luís XVI se entregava a uma vida mais simples e rural, contrastando com a opulência do palácio.

Finalmente, os Jardins de Versalhes, estendendo-se por mais de 800 hectares, constituem um espetáculo à parte. Eles abrigam uma diversidade de plantas e árvores, além de uma rica coleção de estátuas de mármore, lagos e fontes. Proporcionando uma experiência única e memorável aos seus visitantes.

museu d'Orsay
Museu D’Orsay (Foto: Pexels/Pierre Blaché).

3 – Museu d’Orsay

O Museu D’Orsay é um centro artístico especializado em obras do século XIX, preenchendo a lacuna cronológica entre as coleções do Museu do Louvre e as do Centro Pompidou.

Este museu está situado numa antiga estação ferroviária, inaugurada em 1900 para a Exposição Mundial de Paris. A estação manteve uma atividade ferroviária intensa até 1939.

O acervo do Museu D’Orsay é rico em pinturas impressionistas e pós-impressionistas. Além disso, abriga uma extensa coleção de esculturas, artes decorativas e peças arquitetônicas.

No térreo do espaçoso edifício, as salas laterais exibem obras do período de 1848 a 1870. A área central é dedicada a exibir impressionantes esculturas.

O andar superior do museu apresenta obras da era dourada de 1874 a 1886, incluindo peças de renomados artistas como Renoir, Cézanne, Gauguin e Monet. Neste piso, além das obras de arte, os visitantes podem admirar elementos decorativos e um elegante salão de festas, decorado com grande sofisticação e luxo.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado