Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Inflação sobe para 0,83% em fevereiro: veja as principais causas

Economia - IPCA - dividas
(Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A inflação oficial em fevereiro registrou um aumento, atingindo 0,83%, quase o dobro do mês anterior, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (12).

Os reajustes nas mensalidades escolares foram os principais responsáveis por essa pressão inflacionária, conforme indicado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O resultado é próximo ao observado em fevereiro do ano anterior, quando alcançou 0,84%.

No grupo de educação, observou-se o maior crescimento, atingindo 4,98% e contribuindo com 0,29 ponto percentual para o IPCA de fevereiro. Os cursos regulares foram os que mais impactaram, com um aumento de 6,13%.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
Alimentos

Além disso, o grupo de alimentos e bebidas também apresentou um aumento, subindo 0,95%, sendo o segundo maior contribuinte para a inflação. Os preços de itens como cebola, batata-inglesa, frutas, arroz e leite longa vida impulsionaram esse aumento, influenciados por condições climáticas adversas.

Transportes

Os preços dos combustíveis foram outro fator relevante, com um aumento de 0,72% no grupo de transporte. A gasolina teve o maior impacto individual, subindo 2,93% devido ao aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Em contrapartida, o preço das passagens aéreas apresentou uma queda, contribuindo para mitigar parte da pressão inflacionária.

Meta

A meta de inflação estabelecida pelo Banco Central para 2024 é de 3%, com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Desde setembro do ano anterior, o índice tem gradualmente se reduzido, agora alcançando o teto da meta vigente.

INPC

Além do IPCA, o IBGE também divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que registrou uma variação de 0,81% em fevereiro. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de 3,86%, considerando famílias com renda de até cinco salários-mínimos.

Os números refletem os desafios enfrentados pelos consumidores diante do contexto econômico atual, marcado por pressões inflacionárias em diversos setores.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado