Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Trígono Capital apresenta novo fundo de debêntures

Fundo de debêntures da Trígono Capital. (Imagem: Divulgação/Trígono Capital)
Fundo de debêntures da Trígono Capital. (Imagem: Divulgação/Trígono Capital)

A gestora de investimentos, Trígono Capital, acaba de lançar um fundo de debêntures incentivadas, marcando uma expansão em sua oferta de produtos. Gerido por Marcelo Peixoto, chefe da área de crédito privado, o novo fundo promete isenção de Imposto de Renda, atraindo investidores interessados em otimizar seus retornos.

Abordagem da Trígono Capital no mercado de crédito

Ao mesmo tempo em que lança o produto, Peixoto destaca as recentes mudanças regulatórias e o cenário de juros mais baixos como catalisadores para o aumento da atratividade do mercado de crédito. Ele ressalta que os cortes na taxa Selic, que recentemente alcançou 10,50% ao ano, têm impulsionado a demanda por crédito e investimentos em diferentes setores.

Fundo de debêntures e envolvimento da gestora com o agronegócio

Desde sua fundação em 2017, a Trígono Capital tem diversificado seus investimentos no setor do agronegócio. Werner Roger, CIO e fundador, possui uma formação em engenharia agronômica, o que reforça a competência da gestora no entendimento do setor. A Trígono é a maior acionista da Kepler Weber, detendo 22,7% do capital, e mantém investimentos em outras grandes empresas do segmento, como Tupy e São Martinho.

conteúdo patrocinado

Leia também:

Azul anuncia emissão de debêntures de R$ 450 milhões

Compromisso com a sustentabilidade e a inovação

Além disso, a gestora está de olho nas tendências de descarbonização e eficiência energética no agronegócio. Investimentos em empresas que se destacam na produção de etanol e biometano, como São Martinho e Jalles Machado, exemplificam o foco da Trígono em combinar retornos financeiros com benefícios ambientais. A Kepler Weber, parte do portfólio da gestora, também tem investido em tecnologias que melhoram a sustentabilidade na armazenagem de grãos.

Nesse sentido, Peixoto afirma: “Também gostamos do setor florestal, um setor que o Brasil é muito competitivo. Temos algumas ações da Suzano em fundos da casa”.

Expansão e perspectivas futuras

Werner Roger expressa otimismo com relação ao futuro do setor agrícola e está atento a novas oportunidades que possam surgir com a possível reabertura da janela de IPOs no mercado brasileiro.

Com cerca de R$ 3 bilhões sob gestão e uma abordagem estratégica que integra investimentos tradicionais e inovadores, a Trígono Capital continua a reforçar sua posição no mercado financeiro brasileiro, oferecendo aos seus investidores produtos atrativos e comprometidos com o desenvolvimento sustentável.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado