Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Risco de incêndios com dispositivos eletrônicos ameaça voos

Incidentes com baterias aumentam risco em voos

Risco de incêndios ameaça dispositivos eletrônicos em voos
(Foto: Asad Photo Maldives/Pexels).

O uso crescente de dispositivos eletrônicos pessoais durante os voos está aumentando as preocupações com a segurança. Em diversos casos, esses dispositivos causaram incidentes sérios, o que levou as companhias aéreas a implementar medidas preventivas mais estritas.

Recentemente, um power bank superaquecido de um passageiro explodiu em um voo da Royalair Philipines, de Boracay para Xangai, forçando um pouso não planejado em Hong Kong. A explosão gerou uma densa nuvem de fumaça na cabine, mas, felizmente, ninguém se feriu.

Resposta a incêndios em aeronaves

As aeronaves estão equipadas com dispositivos específicos para enfrentar tais emergências. No entanto, incêndios no compartimento de carga apresentam complicações maiores devido às limitadas opções de acesso e controle.

Publicidade

Por isso, muitos voos agora proíbem malas inteligentes com baterias não removíveis nas cabines. As companhias aéreas norte-americanas também estão equipadas com sacos de contenção de incêndio e luvas resistentes ao calor para lidar eficazmente com esses incidentes.

Se um dispositivo começar a superaquecer, ele pode ser confiscado para garantir a segurança de todos a bordo. As regras são claras e seguem um padrão global, embora cada companhia aérea possa ter políticas específicas.

Diretrizes da ANAC

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) no Brasil especifica que as baterias de íon de lítio que excedem 100 Wh, mas não ultrapassam 160 Wh, devem ser transportadas na bagagem de mão e devidamente protegidas para evitar curtos-circuitos, seja em embalagens originais ou isolando seus terminais.

Incidentes 

Em fevereiro de 2023, uma bateria portátil pegou fogo em um voo da United Airlines, resultando na hospitalização de seis passageiros que inalaram fumaça. Os comissários de bordo extinguiram rapidamente as chamas com extintores e isolaram o dispositivo em uma bolsa de contenção.

As companhias aéreas proíbem baterias de lítio na bagagem despachada e recomendam seu transporte na cabine, onde é possível supervisioná-las, devido aos riscos de mudanças de pressão e danos físicos potenciais durante o voo.

Recomendações para passageiros

Para assegurar a segurança, recomenda-se desligar qualquer dispositivos eletrônicos em voos que superaqueça e evitar o uso de carregadores não originais. Além disso, também aconselha-se transportar baterias de lítio em locais seguros, protegidas contra colisões e curto-circuitos, especialmente durante o voo.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado