Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Evite mentir no currículo: consequências legais e éticas

Saiba os riscos de falsificar informações

(Foto: Cottonbro/ Pexels)

Você encontrou uma oportunidade de emprego com um salário atraente, localização conveniente e benefícios adicionais, como plano médico e odontológico. A empresa também oferece um sistema de bonificação por tempo de serviço e valoriza seus funcionários. Parece o emprego dos sonhos. Mas tem que ficar atento: mentir no currículo é crime.

Preparação para a Vaga

De imediato, você começa a preparar sua documentação para se inscrever. No entanto, a proporção de candidatos por vaga o preocupa. ‘Preciso me destacar’, você pensa, enquanto atualiza seu currículo. Neste momento, surge a dúvida: mentir no currículo é crime?

Consequências Legais

Sim, mentir no currículo é crime. Este ato configura falsificação de documento particular, conforme o artigo 298 do Código Penal, com pena de um a cinco anos de reclusão, além de multa. A redação do artigo estabelece que falsificar, no todo ou em parte, documento particular ou alterar documento particular verdadeiro é um crime.

Publicidade

Falsidade Ideológica e Plágio

Além do crime de falsificação de documento, mentir no currículo pode estar associado a outras práticas ilícitas, como falsidade ideológica (artigo 299 do Código Penal) e plágio (artigo 184 do Código Penal). O artigo 299 descreve a falsidade ideológica e prevê pena de reclusão de um a cinco anos e multa para documentos públicos e de um a três anos e multa para documentos particulares.

Pesquisa e Estatísticas

Conforme publicado pelo O Globo, uma pesquisa da consultoria de recursos humanos Robert Half revelou que 69% dos recrutadores já descartaram candidatos por inconsistências no currículo. Os casos mais triviais são exagero na descrição de habilidades ou conhecimentos (citado por 50% dos entrevistadores), mentiras sobre empregos passados (48%), habilidade superior em outros idiomas (32%), distorções de realizações (29%) e falso currículo educacional (26%).

Leia Também:

Ferramentas de Verificação

Para combater as falsificações, empresas como o Grupo Iaudit utilizam ferramentas digitais que automatizam a verificação de dados em fontes como tribunais e Receita Federal. A demanda por esse tipo de serviço dobrou nos últimos dez anos. Quanto mais alto o cargo, maior a disposição das empresas de investir em verificações.

Casos Reais

Recentemente, um candidato a diretor comercial exagerou suas realizações no currículo, alegando uma performance 120% acima da meta de vendas. A verificação revelou que isso resultou em um alto índice de rotatividade do funcionário. Consequentemente, a multinacional que havia contratado a checagem descartou o candidato.

Autorizações Necessárias

Os profissionais submetidos à checagem de informações precisam autorizar o compartilhamento dos dados do currículo. Isso permite que recrutadores validem informações com empregadores anteriores. Muitos candidatos acabam sendo desclassificados quando suas mentiras são descobertas.

Mentiras Comuns

As mentiras mais frequentes envolvem fluência em idiomas, conhecimento de ferramentas digitais e duração de empregos anteriores. Empresas têm investido em inteligência artificial para cruzar dados e identificar inconsistências. Isso inclui análise comportamental e habilidades dos candidatos.

Implicações Éticas e Legais

Mentir no currículo pode levar à demissão por justa causa, dependendo da gravidade da mentira. Casos mais graves, como fraudes em documentos de habilitação profissional, como a carteira da OAB, configuram crime. Mentir sobre diplomas universitários pode resultar em ações penais e, se a pessoa chegar a exercer ilegalmente a profissão, incorrerá também no crime de exercício irregular da profissão. Alguns casos mais graves podem resultar em ações penais, especialmente quando envolvem falsificação de diplomas e registros profissionais.

Mentir no currículo é um risco que não vale a pena correr. As informações frequentemente são verificadas, e inconsistências podem resultar em desclassificação, demissão ou até mesmo ações legais. Seja honesto em suas qualificações e experiências para evitar problemas futuros.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado