Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Dinheiro em extinção? Apenas 22% das compras no Brasil usam cédulas

Menor uso de dinheiro impulsiona pagamento digital

Dinheiro em extinção? Apenas 22% das compras no Brasil usam cédulas
(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil).

O Brasil caminha para se tornar uma economia que depende menos do dinheiro físico. De acordo com o relatório global de pagamentos da Worldpay, em 2022, somente 22% das transações em pontos de venda foram realizadas com dinheiro em espécie, mostrando uma queda considerável dos 48% observados em 2019, antes do surgimento do Pix.

Espera-se que a tendência de redução no uso do dinheiro físico continue, com projeções indicando que apenas 12% das transações ocorrerão dessa maneira até 2027. A crescente preferência por métodos de pagamento digitais, como cartões e pagamentos instantâneos, está acelerando essa mudança, sugerindo uma futura escassez de cédulas.

Globalmente, o uso de dinheiro diminuiu 8% entre 2022 e 2023, com um total de US$ 6,1 trilhões (cerca de R$ 300 trilhões) sendo movimentados em espécie. Esse declínio reflete uma tendência abrangente à medida que as tecnologias de pagamento se tornam mais integradas no dia a dia das pessoas.

Publicidade

 

Persistência do dinheiro em economias emergentes

O estudo da Worldpay aponta que, apesar da queda global, o dinheiro ainda é o principal método de pagamento em locais com economias emergentes, como Argentina, Colômbia, Espanha, Filipinas, Japão, Malásia, México, Nigéria, Peru, Polônia, Tailândia e Vietnã.

Esses países enfrentam desafios semelhantes, como alta inflação e grande número de pessoas sem conta em banco. Nessas regiões, o uso persistente de dinheiro está associado à limitada acessibilidade às modernas tecnologias de pagamento para as populações de baixa renda.

Contraste com países desenvolvidos

Por outro lado, países desenvolvidos como Noruega e Austrália exemplificam um cenário onde o dinheiro físico é cada vez menos comum no comércio. Esses países mostram como a digitalização dos pagamentos pode predominar, refletindo um avanço na adoção de soluções tecnológicas no sistema financeiro.

Implicações culturais e tecnológicas

A transição global para os pagamentos digitais não apenas reflete mudanças tecnológicas, mas também adaptações culturais nos hábitos de consumo. O panorama sugere uma evolução contínua na maneira como as pessoas acessam e utilizam dinheiro, apontando para um futuro onde o dinheiro físico pode se tornar uma raridade em muitas economias globais.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado