Pesquisa revela desafios dos bares e restaurantes

A pesquisa, feita em parceria com a consultoria Galunion, especializada no mercado food service, e com o Instituto Foodservice Brasil (IFB), e realizada entre 12 de agosto e 8 de setembro, contou com 800 empresas de diversos perfis - de redes a independentes.
Foto: Pexels/Chan Walrus)

Um estudo recente conduzido pela Associação Nacional de Restaurantes (ANR), em colaboração com a consultoria Galunion e o Instituto Foodservice Brasil (IFB), revelou dados relevantes sobre o setor de bares, restaurantes, cafés e lanchonetes no Brasil. A pesquisa, realizada entre 12 de agosto e 8 de setembro, envolveu 800 empresas de diversos perfis e localizações, totalizando 22.907 lojas. O levantamento mostrou que 62% destas empresas ainda lutam para alcançar os números de vendas registrados antes da pandemia, comparando dados de julho de 2021 com julho de 2019.

Recuperação e Superação de Receitas

Dos estabelecimentos pesquisados, 13% já retomaram os níveis de faturamento pré-pandêmicos, enquanto 25% afirmaram ter superado a receita anterior à crise. Este dado reflete um cenário diversificado no setor, com algumas empresas conseguindo se adaptar e até prosperar durante o período desafiador.

Endividamento e Estratégias de Pagamento

O estudo também aponta que 55% dos bares e restaurantes e similares se encontram endividados. A maioria das dívidas é com bancos (78%), seguido por impostos em atraso (57%), dívidas com fornecedores (24%) e pendências trabalhistas (14%). Entre os endividados, 48% estimam mais de dois anos para quitar os débitos, e 63% planejam aderir a planos de parcelamento governamentais.

Expansão do Delivery

Um aspecto positivo destacado pela pesquisa é o aumento significativo no delivery, que passou a representar 39% da receita total das empresas, um aumento considerável em relação aos 24% pré-pandemia. Com o fechamento dos estabelecimentos entre março e julho de 2020, o delivery se tornou uma alternativa vital para a sobrevivência de muitos negócios. Mesmo com a reabertura das lojas, 85% dos empresários afirmam que manterão o serviço de entrega, enquanto 15% optarão apenas pelo atendimento presencial.

Perspectivas de Recuperação

Fernando Blower, diretor executivo da ANR, e Ely Mizrahi, presidente do IFB, concordam que o setor está no início de um processo de recuperação que será longo. Ambos enfatizam a necessidade de ações conjuntas e apoio contínuo para superar os desafios impostos pela pandemia e acelerar a recuperação do setor.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado