Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CIN da FIEC lista possíveis consequências pela instabilidade do cenário geopolítico internacional

instabilidade do cenário geopolítico internacional

O Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), elaborou um estudo com os dados do comércio internacional entre o Brasil e os dois países que aponta possíveis impactos gerados pelo conflito entre Rússia e Ucrânia.

O Brasil é o principal exportador da América Latina para Ucrânia e para Rússia em produtos básicos de consumo ou insumos para a indústria. Na importação, destacam-se bens de produção, como combustíveis e fertilizantes.

Ranking

Publicidade

Atualmente, a Rússia é o 36º principal destino para os produtos brasileiros e o 6º principal fornecedor para o Brasil; já a Ucrânia, ocupa o 75º lugar como mercado consumidor para as exportações brasileiras e é o 63º exportador. Em 2021, as exportações brasileiras para a Ucrânia e a Rússia foram de US$ 226,8 milhões e US$ 1,6 bilhão, respectivamente.

Dentre os estados exportadores, o Ceará ocupa o 10º lugar como principal fornecedor para a Ucrânia e o 20° para a Rússia, exportando produtos básicos de consumo, principalmente os semiduráveis, como calçados e não duráveis como frutas. A variação anual foi de 51% nas exportações e de 43% nas importações, quando comparadas as pautas de 2021 em relação a 2020.

“Sabemos que, em se tratando de preços de energia, as exportações russas de petróleo e gás podem cair por conta das sanções e que as duas nações juntas representam quase 30% das vendas mundiais externas de trigo, além do peso da Rússia nos embarques de metais industriais, o que repercute nos custos, preços e nos mercados financeiros”, afirma Karina Frota.

Acesse AQUI o estudo completo.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado