Lucas Amadeu: do marketing à influência inspiradora

(Foto: Reprodução/Instagram)

O empresário Lucas Amadeu é um profissional multifacetado que representa bem a convergência de mídias e a criatividade do nosso tempo. Jornalista de formação, migrou para o Marketing, ajudando na consolidação do segmento digital no Brasil. Com passagens por empresas renomadas como Facebook e Vivo, ele conquistou reconhecimento no setor. Hoje, além de ser sócio na V4 Company, Lucas emergiu como influenciador digital, cultivando uma audiência fiel de 955 mil seguidores no Instagram.

Em suas plataformas online, Instagram e YouTube, Lucas compartilha dicas de viagens, estilo de vida e motiva seus seguidores, os ‘AmaFãs’, a buscar a melhor versão de si mesmos, tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Em entrevista exclusiva ao Economic News Brasil, Lucas Amadeu revela os capítulos de sua trajetória e explora suas metas e planos futuros. Confira agora!

Pode nos contar um pouco mais sobre a sua trajetória?

Eu tive três grandes fases da minha carreira. A primeira delas foi como jornalista, no Grupo Tribuna, empresa ligada à Rede Globo na Baixada Santista. Atuei em praticamente todos os tipos de mídia, e foi trabalhando nos portais de internet do Tribuna que eu comecei a ter mais contato com o marketing digital, que estava surgindo. Na época, por volta de 2009 ou 2010, ainda não se usava o termo ‘marketing digital’, mas eu vi que isso me daria muita autonomia e bastante oportunidade. Então eu decidi focar minha carreira nisso.

Fiz uma especialização em Marketing na Universidade Presbiteriana Mackenzie e isso me abriu portas pra trabalhar em multinacionais. Com isso, fui trabalhar na Vivo em 2009, o que marcou minha carreira de forma mais incisiva com um profissional de marketing digital. Depois fui pra Colgate, Panasonic, Latam Airlines, no programa de fidelidade Multiplus. Já no Facebook, em 2015, fui um dos cinco executivos responsáveis por lançar a plataforma de anúncios do Instagram no Brasil.

De volta à Vivo, tive a oportunidade de atuar em uma startup que oferecia mais liberdade de criação, algo que não era tão presente no Facebook. Eu nunca gostei de trabalhar limitado. Lá, criei a Vivo Ads, uma plataforma de mobile marketing em que a gente vende anúncios para grandes empresas e, em troca, o cliente que assiste essas propagandas ganha pacotes de internet. Lançado por volta de 2017, o produto alcançou um sucesso estrondoso e me rendeu o reconhecimento dos sete principais prêmios de marketing do Brasil, incluindo o Caboré, além das revistas Propaganda e Marketing e Meio & Mensagem.

Como dar os primeiros passos no cenário do marketing digital em 2024?

Eu sempre digo que o marketing é formado por três frentes. Primeiro, é preciso ter conhecimento de vendas, porque o marketing existe pra vender as coisas. Então é necessário estar muito próximo da sua área comercial, entender as necessidades, objeções, o que gera desejo no consumidor, o que encanta em relação ao produto ou serviço. Assim, você consegue comunicar e montar uma estratégia de divulgação na internet que faça sentido.

O segundo ponto é dominar todas as questões do produto. Quais são os diferenciais do produto em relação à concorrência, como ele satisfaz os desejos do consumidor. Nesse sentido, a pesquisa de mercado é essencial: procurar aprender com o consumidor, com pessoas que eram seus clientes e deixaram de comprar. Além disso, buscar tendências que estão acontecendo no seu segmento em outros mercados e países em que você possa se inspirar.

A terceira frente é o estudo das tendências. Para onde o teu mercado está indo? Para onde a comunicação digital como um todo está indo? A gente tem que monitorar essas tendências, tentar entender qual o uso prático delas e separar o que é espuma. Isso porque, quando se fala de marketing digital, muitas pessoas têm um contato deturpado, com charlatões que vendem sonhos, ilusões, enriquecimento fácil. Não é a maneira que eu conheci o marketing digital. Conheci empresas onde era cobrado um resultado com base no investimento que eu fazia, vendendo produtos de verdade que atendiam a as necessidades dos consumidores.

Quais seus projetos profissionais para os próximos meses?

Essa é a terceira fase da minha carreira. Embora eu fosse executivo em grandes multinacionais, comecei a me tornar influenciador, há mais ou menos dez anos. Iniciei com um canal no YouTube e depois migrei para o Instagram, onde mostro o meu dia-a-dia, dou dicas de negócios, viagens, estilo de vida. Isso começou a crescer tanto que comecei a perceber que as oportunidades fora das multinacionais eram muito maiores. Na época, ainda estava na Vivo e a empresa disse que não estava confortável com isso, então, optei por deixar a carreira corporativa e tentar focar nesse novo ramo.

Hoje eu tenho três frentes de negócios. A primeira é como sócio de duas startups: a V4 Company, que é a maior assessoria de marketing da América Latina; e a OKA, uma construtech onde sou diretor de marketing. A segunda frente é dos meus produtos e eventos. Eu tenho uma linha de camisetas, mochilas e drinks, além de quatro eventos de marketing que produzo ao longo do ano.

A terceira frente são as parcerias com grandes marcas. Hoje sou embaixador do BTG Pactual, que é o maior banco de investimentos da América Latina, onde falo dos benefícios ligados a estilo de vida e viagens, principalmente. Também sou embaixador do grupo Fleury, um grupo de laboratórios com abrangência nacional, e da Ever Insurance, um seguro de saúde internacional com sede em Miami. Além disso, tenho parcerias com a companhia de cruzeiros Royal Caribbean e com a Rivers, empresa de moda minimalista de Belo Horizonte.

Eu sempre busco parcerias com empresas que estão ligadas à minha realidade: não consigo vender nada que não seja real, porque isso não tem resultado. É algo que pratiquei durante toda minha carreira, por isso executo tão bem na na minha vida como influenciador.

E pessoais? Quais as próximas metas?

Tenho um projeto grande pessoal por ano, metas que eu defino. 2023 foi o ano do projeto AmaMundo, onde eu aproveitei a liberdade de não trabalhar mais em uma multinacional, em que precisava estar no escritório todos os dias, para passar, pelo menos metade do mês em um país diferente, foi muito legal. Me apaixonei por várias lugares: quando fui para Miami, queria mudar para Miami; em Portugal, queria mudar para Portugal.

Esse ano é o projeto AmaFitness, em que estou me dedicando mais à saúde. Desenvolvi alguns problemas ao longo dos anos, com aquela dorzinha que a gente sente e vai deixando de lado. Então, resolvi cuidar de tudo isso para poder voltar a ter mais qualidade de vida, poder correr, praticar esportes e, assim, também incentivar as pessoas que me seguem. Da mesma forma, no último ano, o estímulo foi para viajar mais, viver mais intensamente. Até agora, já vi uma diferença gigante, tanto estética, quanto de saúde. Então acredito que 2024 é o tempo de me cuidar e ajudar as pessoas que me acompanham a também exercitarem essa visão.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado