Pesquisar
Close this search box.

Nova York processa JBS por falsas alegações ambientais

Acusações de Greenwashing contra frigorífico. (Foto: Kyle Mackie/Unsplash)
Acusações de Greenwashing contra frigorífico. (Foto: Kyle Mackie/Unsplash)

A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, acusou a JBS USA, braço norte-americano do frigorífico brasileiro, de enganar os consumidores sobre suas promessas de sustentabilidade, incluindo a meta de alcançar a neutralidade de carbono líquido zero até 2040. O processo movido contra a JBS afirma que a empresa fez alegações ambientais enganosas que poderiam influenciar os consumidores a acreditarem que o consumo de sua carne bovina era sustentável.

O compromisso “Net Zero” em questão

Letitia James argumenta que, apesar das promessas públicas da JBS de alcançar o “net zero” em emissões de carbono em 2040, a empresa tem planos de expandir sua produção, o que, paradoxalmente, aumentaria sua pegada de carbono. A ação movida busca que a JBS USA cesse a divulgação de sua campanha “Net Zero by 2040”, realize uma auditoria de terceiros sobre seu cumprimento das leis de proteção ao consumidor de Nova York, e devolva os lucros obtidos por meio dessas alegações enganosas, além de pagar uma multa significativa.

Resposta da JBS

A JBS defendeu seu compromisso com a sustentabilidade, declarando que discorda das ações da procuradoria e que continuará a trabalhar com seus parceiros para alimentar a população crescente de maneira sustentável. A empresa enfatizou seu esforço em usar menos recursos e reduzir o impacto ambiental da agricultura.

Fundo do processo

O processo destaca declarações falsas e práticas de “greenwashing” da JBS, incluindo um compromisso para conter o desmatamento e reduzir emissões. Um exemplo citado é uma apresentação de 2015, onde um executivo da JBS enfatizou a importância de comunicar aos consumidores os esforços da empresa em reduzir seu impacto ambiental.

Impacto e repercussões

Além das acusações de engano, a JBS enfrenta oposição à sua tentativa de listar seu braço americano na Bolsa de Valores de Nova York, devido a ligações com o desmatamento na Amazônia. A empresa, que reportou emissões de mais de 71 milhões de toneladas de gases de efeito estufa em 2021, adiou sua listagem pública para o segundo semestre de 2024, após pressão de senadores norte-americanos e ambientalistas.

Contexto ambiental

A produção de carne bovina é uma das maiores fontes de emissões de gases de efeito estufa, com a pecuária respondendo por 14,5% das emissões globais anuais. O processo contra a JBS por alegações ambientais destaca a importância de ações verídicas na luta contra as mudanças climáticas e questiona a autenticidade das promessas de sustentabilidade feitas por grandes corporações no cenário global.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado