Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Petrobras: em reunião, equipe econômica apoiou o pagamento de dividendos

Irregularidades: TCU pede fim de contrato da Petrobras com Unigel
(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil).

A equipe econômica do Governo Federal, em reunião realizada na semana passada, com a diretoria da Petrobras, manifestou apoio à proposta de distribuir dividendos extraordinários aos acionistas. Este posicionamento veio à tona após a empresa, que reportou um lucro líquido de R$ 31,04 bilhões no último trimestre, decidir contra a distribuição desses dividendos. Essa escolha resultou em uma desvalorização de R$ 55,8 bilhões no valor de mercado da Petrobras, com suas ações preferenciais sofrendo uma queda de 10,57%.

Preocupações com a intervenção do governo

O temor de uma intervenção por parte do Governo Federal na gestão da Petrobras foi apontado como o principal motivo para a queda no valor de mercado. Informações divulgadas pela agência Reuters sugerem que a decisão de não pagar os dividendos partiu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Contrariamente, membros da equipe econômica acreditavam que o pagamento de dividendos extraordinários estaria em conformidade com a legislação e as expectativas do mercado, além de contribuir para o caixa do Governo Federal.

Opiniões contrárias e impacto fiscal

Uma fonte interna da equipe econômica expressou descontentamento com a decisão de não distribuir os dividendos, classificando-a como prejudicial ao esforço fiscal. Havia uma expectativa contrária por parte de analistas de mercado, que previam uma possível influência do governo sobre a Petrobras para auxiliar na frente fiscal. No entanto, a situação se desenrolou de maneira oposta ao esperado.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

Destino dos dividendos e esclarecimentos

Discussões acerca do destino dos dividendos extraordinários não pagos também geraram “confusão” interna no governo. Ficou claro, contudo, que a utilização desses recursos para investimentos é proibida. Sergio Caetano Leite, diretor financeiro e de relações com investidores da Petrobras, esclareceu em coletiva de imprensa que os recursos retidos são destinados exclusivamente ao pagamento de dividendos futuros, descartando qualquer plano de investimento com esse capital.

Impacto no mercado e reações dos investidores

A decisão da Petrobras em não anunciar o pagamento de dividendos extraordinários junto ao resultado trimestral impactou negativamente o mercado. A companhia observou uma redução em seu valor de mercado, ultrapassando a marca de R$ 70 bilhões.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado