Pesquisar
Close this search box.

Após críticas, varejista Temu revisa política empresarial

Temu revisa política de privacidade. (Foto: Reprodução)
Temu revisa política de privacidade. (Foto: Reprodução)

O varejista eletrônico chinês Temu recentemente encontrou-se no centro das atenções após revisar os termos de uma popular oferta de doação de dinheiro, que havia gerado preocupações entre os consumidores sobre a privacidade dos dados.

A origem da controvérsia

A promoção, que prometia até £50 para os participantes mediante a entrega de uma quantidade considerável de dados pessoais, levou a questionamentos sobre os “termos e condições padrão” inicialmente propostos pela Temu. O mercado online, que desembarcou nos EUA em 2022 e no Reino Unido em 2023, já enfrentava críticas por outras razões, incluindo preocupações sobre a proveniência de seus produtos.

Resposta às críticas

Em face das crescentes preocupações, a Temu anunciou que havia “ajustado” seus termos para serem menos abrangentes, especificando que agora limitaria o uso de dados pessoais à funcionalidade de indicação e aos anúncios dos vencedores da promoção. Esta mudança visa apaziguar os temores dos consumidores, garantindo que a privacidade dos dados seja respeitada.

Escrutínio dos especialistas

A promoção e seus termos originais provocaram análises de especialistas em privacidade de dados e direito do consumidor, que alertaram para o risco de consentimento implícito a usos indevidos dos dados pessoais dos participantes. A preocupação central girava em torno da permissão dada à Temu para utilizar “voz” e “informações biográficas” dos usuários de maneira ampla e indefinida.

Campanha da Temu

A oferta controversa incentivava novos usuários a recrutar outros participantes, com recompensas em dinheiro ou crédito na loja sendo oferecidas como incentivo. A campanha rapidamente se espalhou pelas redes sociais, acompanhada de um escrutínio intenso das suas condições, especialmente em plataformas como o X (anteriormente Twitter), onde uma publicação que questionava as regras alcançou milhões de visualizações.

Reação regulatória

O Information Commissioner’s Office (ICO), órgão fiscalizador de dados do Reino Unido, declarou que estava avaliando as preocupações levantadas pela oferta da Temu, reforçando a necessidade de transparência e consentimento informado na coleta e uso de informações pessoais.

Reflexão sobre a privacidade de dados

A situação da Temu reflete um desafio mais amplo enfrentado pelos usuários de serviços online, que frequentemente têm que balancear o desejo por benefícios imediatos contra a proteção da sua privacidade de dados. Especialistas enfatizam a importância de compreender completamente os termos de qualquer acordo antes de consentir com a coleta e uso de dados pessoais.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado