Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Couro, suor e pólvora: perfumes inusitados atraem consumidores

Couro, suor e pólvora: perfumes inusitados atraem consumidores
UNUM, é inspirado no filme “Hannibal” de 2001 e apresenta sangue como nota de saída (Foto: Divulgação/Filipposorcinelli).

A moda dos perfumes com fragrâncias tradicionais pode estar em declínio. A nova tendência, amplamente popularizada pelo TikTok, privilegia perfumes inusitados e, por vezes, considerados anti-higiênicos. Na plataforma de vídeos, a hashtag Perfumetok acumula impressionantes 6,7 bilhões de visualizações, destacando um interesse crescente por essências peculiares.

Os aromas de dinheiro sujo, látex e pólvora estão entre os mais procurados nesse nicho. A francesa Etat Libre D’Orange, pioneira nesse movimento, introduziu ao mercado o perfume Sécrétions Magnifiques em 2006. A fragrância contém notas de sangue, sêmen, saliva e suor, o que inicialmente provocou reações mistas, mas eventualmente adquiriu status de cult.

O perfumista James Elliott, proprietário da marca Filigree & Shadow, lançou em 2018 o perfume Sui Generis, que possui notas de chiclete, rosa, couro e metanfetamina. Mais recentemente, ele desenvolveu Laughing With a Mouthful of Blood, com essências de Coca-Cola, linho e tabaco. Elliott está atualmente trabalhando em uma nova fragrância que inclui cheiros de couro, suor, cigarros e roupa íntima usada.

conteúdo patrocinado

Essa tendência reflete uma mudança nos ideais de consumo de perfumes, deslocando-se dos aromas agradáveis e convencionais para escolhas que expressam individualidade e até provocação. Segundo Annabelle La Chimia, influenciadora no TikTok, “as pessoas não sentem mais a necessidade de cheirar bem para serem amadas ou aceitas.”

A demanda por fragrâncias que desafiam as convenções não é recente. Perfumes como Opium, de Yves Saint Laurent, e Poison, de Christian Dior, já haviam causado controvérsias no passado devido à potência de seus aromas ou campanhas publicitárias provocativas. No entanto, as novas essências buscam chocar mais diretamente pelos odores que propõem.

Esta onda de perfumes inusitados é impulsionada em grande parte pelos perfumistas independentes, como Elliott e Filippo Sorcinelli, que têm mais liberdade para experimentar e inovar. Sorcinelli, por exemplo, criou perfumes que visam transmitir emoções complexas e obscuras, como medo e ansiedade. O seu perfume But Not Today, lançado em 2014, inclui sangue como uma das notas principais.

Os artesãos perfumistas estão se tornando cada vez mais influentes na indústria, desafiando os modelos tradicionais e as grandes marcas. Briac Frocrain, fundador da Marlou, ressalta que, antes da consolidação das grandes corporações de beleza e luxo, a maioria dos perfumistas operava de forma independente. Frocrain vê o retorno a essas raízes como uma forma de reviver a audácia e a sensibilidade na criação de perfumes.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado