Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Luiz Gastão defende crédito rápido e alíquota especial na reforma tributária

Discussão no GT aborda prazos de crédito e alíquotas

Deputado Federal Luiz Gastão (PSD-CE) - Foto: Assessoria

O grupo de trabalho (GT) da reforma tributária, responsável por analisar o projeto de lei complementar 68/24, iniciou suas audiências recentemente. Deputados federais do colegiado, incluindo Luiz Gastão (PSD-CE), e o secretário especial do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, debateram aspectos importantes da proposta.

Propostas de Gastão

Durante a sessão, o deputado Luiz Gastão destacou a necessidade de reduzir o prazo de devolução dos créditos gerados pelo pagamento do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) e Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), que atualmente pode chegar a 270 dias. Gastão, com o apoio da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), também argumentou em favor de uma alíquota especial para a cesta básica, visando garantir a segurança alimentar e acesso a produtos saudáveis para todos.

“Não é porque hoje o pobre não come tilápia ou algum outro tipo de carne que ele vai deixar de ter o direito de comprar, porque está fora da cesta básica,” defendeu Gastão.

Cronograma das Audiências

O GT planeja concluir o relatório até o final do semestre legislativo, que se encerra em julho. Para isso, estão previstas oito audiências públicas e reuniões com técnicos do governo, buscando alcançar um texto de consenso. As sessões incluem representantes de diversas entidades empresariais, como a Confederação Nacional do Comércio (CNC).

conteúdo patrocinado

Leia Também:

As próximas audiências acontecerão nas seguintes datas:

  • 3 de junho, às 14h30: normas gerais do IBS e CBS sobre operações;
  • 4 de junho, às 9h: modelo operacional do IBS/CBS;
  • 4 de junho, às 14h30: exportações e importações, regimes aduaneiros especiais, bens de capital e zonas de processamento de exportações;
  • 5 de junho, às 9h: cashback, cesta básica e demais alimentos;
  • 5 de junho, às 14h30: regimes diferenciados, profissões regulamentadas, serviços de educação e saúde;
  • 6 de junho, às 9h: regimes específicos e continuação de regimes diferenciados.

Os debates serão conduzidos por diferentes membros do Grupo de Trabalho (GT) da Reforma Tributária, e os convidados para os encontros de junho serão anunciados pela secretaria do grupo de trabalho.

Impactos da Reforma

Bernard Appy, em sua defesa dos principais pontos da reforma, destacou o modelo de cobrança “split payment”, que separa o pagamento do imposto no ato da transação. Ele afirmou que o impacto das mudanças será percebido no médio prazo, entre 10 e 13 anos, ajudando a reduzir a pressão por aumento de carga tributária.

“Estamos falando aqui, provavelmente, no aumento maior que 10 pontos percentuais no PIB potencial do Brasil por conta da reforma tributária,” afirmou Appy.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado