Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Mais pobres sacrificam comida por conta de luz em 30% dos lares

Estudo expõe impacto em famílias de baixa renda

Mais pobres sacrificam comida por conta de luz em 30% dos lares
(Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil).

Uma investigação realizada pelo Instituto Pólis, em parceria com o Ipec, destaca que 36% das famílias brasileiras mais pobres gastam metade ou mais de sua renda mensal apenas com contas de luz e gás. O estudo entrevistou 2.000 pessoas em todo o país, garantindo um intervalo de confiança de 95% com uma margem de erro de dois pontos percentuais.

Dados divulgados

Entre os dados alarmantes, está a realidade das famílias da classe D/E, cuja renda não ultrapassa um salário mínimo. Nestes lares, 30% têm de abrir mão de alimentos básicos como arroz, feijão, café e açúcar, ou reduzir o seu consumo, para manter as contas de luz em dia. Surpreendentemente, 60% destas famílias acumulam atrasos nas contas de energia.

Além disso, uma parte das famílias, 35%, opta por reduzir despesas com roupas e eletroeletrônicos para lidar com os custos de energia. A pesquisa aponta que uma eventual redução nas tarifas energéticas poderia realocar esses recursos para a compra de alimentos, com 50% das famílias indicando que utilizariam o dinheiro economizado para melhorar a alimentação.

Publicidade

Desigualdades destacadas

O levantamento expõe ainda que a carga dos gastos com energia é distribuída de maneira desigual entre diferentes grupos raciais e regionais. Enquanto 68% das pessoas negras entrevistadas estão com a conta de luz atrasada, o percentual cai para 31% entre os brancos. No Norte e Nordeste, as porcentagens de famílias que gastam metade ou mais de seu orçamento com energia atingem 53% e 45%, respectivamente.

 

Opinião pública sobre políticas energéticas

A pesquisa também revelou que 57% dos entrevistados consideram a Tarifa Social de Energia Elétrica insuficiente para aliviar o peso das despesas com energia nas famílias mais pobres. Adicionalmente, 89% dos participantes são favoráveis à utilização de impostos e encargos na conta de luz para financiar programas que promovam o acesso universal à energia elétrica.

Instituto Pólis

O Instituto Pólis foi fundado em 1987 e continua empenhado em promover discussões e pesquisas sobre políticas públicas. Ele foca especialmente nas que impactam diretamente a vida urbana e social dos brasileiros. Este estudo destaca a urgência de reavaliar as políticas tarifárias energéticas. O objetivo, portanto, é garantir que menos famílias tenham que escolher entre pagar a conta de luz e comprar alimentos.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado