Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Dólar cai 1,12% com declarações de Jerome Powell, presidente do Fed

Queda do dólar contrasta com alta do índice DXY internacional

Dólar
Dólar, a moeda do Estados Unidos da América (Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil)

O dólar à vista registrou uma queda em relação ao real, desfazendo os ganhos obtidos no dia anterior. O movimento ocorreu enquanto investidores refletiam sobre as declarações do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, feitas durante a apresentação no Congresso dos Estados Unidos.

Jerome Powell afirmou que a economia dos EUA já não se encontra superaquecida e destacou que o banco central norte-americano deve ponderar os riscos em ambos os lados das perspectivas econômicas antes de tomar decisões sobre a redução das taxas de juros.

O dólar comercial encerrou o dia com uma queda de 1,12%, cotado a R$ 5,414 tanto na compra quanto na venda. Na B3, o contrato de dólar futuro para agosto (DOLc1) apresentou uma queda de 1,04%, sendo negociado a 5.432 pontos.

Publicidade

No mercado internacional, às 17h10 (horário de Brasília), o índice do dólar (DXY), que avalia o desempenho da moeda americana frente a uma cesta de seis outras moedas, subia 0,13%, alcançando 105,110 pontos.

Cotação do Dólar

Dólar comercial:

    • Compra: R$ 5,414
    • Venda: R$ 5,414

 

Dólar turismo:

    • Compra: R$ 5,443
    • Venda: R$ 5,623

A menor liquidez nas operações marcou a jornada financeira, devido ao feriado da Revolução Constitucionalista de 1932 em São Paulo. Embora a Bolsa de Valores tenha funcionado normalmente, o volume de negociações diminuiu

Na terça-feira (9), o dólar recuou 1,12% em relação ao real, fechando a R$ 5,41, em sintonia com a recente tendência de redução dos prêmios de risco no Brasil. Isso contrastou com o cenário internacional, onde a moeda americana manteve alta frente a várias outras divisas após as declarações de Jerome Powell.

O presidente do Fed destacou que, apesar de a inflação nos EUA ainda estar acima da meta de 2%, ela tem mostrado sinais de melhora nos últimos meses. Ele mencionou que a continuação de bons dados econômicos fortaleceria os argumentos para cortes nas taxas de juros. No entanto, Jerome Powell evitou fornecer um cronograma para esses cortes, o que desapontou parte do mercado internacional.

Autonomia do Banco Central

No Brasil, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), sugeriu um debate mais detalhado e prolongado sobre a proposta que visa conceder autonomia financeira ao Banco Central, em resposta aos questionamentos do presidente Lula sobre o tema.

Em entrevista à imprensa, Rodrigo Pacheco manifestou apoio à proposta. No entanto, ele recomendou que o texto fosse amadurecido com a participação de especialistas e funcionários da autarquia. “Acredito que um debate mais aprofundado e prolongado sobre a autonomia do Banco Central é recomendável”, afirmou.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado