“Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis impulsiona fortalecimento da indústria e competitividade do Brasil”, afirmam lideranças 

O Rio Grande do Norte – escolhido como sede – é o maior produtor de energia eólica do Brasil e também o estado com a maior potência prevista para os próximos anos.
O Rio Grande do Norte – escolhido como sede – é o maior produtor de energia eólica do Brasil e também o estado com a maior potência prevista para os próximos anos.

O Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) foi oficialmente inaugurado nessa terça-feira (15) no Rio Grande do Norte como “impulso ao fortalecimento da indústria e à competitividade do Brasil, com soluções que prometem catapultar a sustentabilidade do país, com redução de custos, mais eficiência e geração de energias limpas”.

A avaliação foi feita por lideranças empresariais e políticas durante a cerimônia que marcou a conclusão das instalações e o início da operação plena dos laboratórios do Instituto.

Acesse Nosso Canal Telegram.

O ISI-ER faz parte de uma rede formada por 26 Institutos de Inovação implantados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) no Brasil para atender a diferentes demandas da indústria.

É a maior rede de institutos privados do país para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) do setor, com a unidade em Natal, no Rio Grande do Norte, como principal referência para pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco em energia eólica e solar.

Soluções

O evento de inauguração teve transmissão ao vivo pelo YouTube e foi realizado no “Dia Mundial do Vento”, data que reforça a importância da energia eólica.

“O Rio Grande do Norte é líder nacional na geração desse tipo de energia, tem os maiores players do setor instalados em seu território e o ISI-ER vem apoiar essas empresas não só do estado, mas de todo o Brasil, trazendo o que há de mais moderno para agregação de valor, capacidade de discutir e transformar projetos que antes tinham gargalos, agora em soluções”, ressaltou o presidente do Conselho Regional do SENAI-RN e do Sistema FIERN – que engloba SENAI, SESI,IEL e Federação das Indústrias do estado – Amaro Sales de Araújo.

O diretor regional do SENAI RN, Emerson da Cunha Batista, ressaltou que o Instituto complementa as ações do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER), a unidade do SENAI que forma mão de obra qualificada para a indústria – constituindo agora o chamado HIT, Hub de Inovação e Tecnologia no Rio Grande do Norte.

Mercado

A carteira de projetos com serviços já contratados ao Instituto ultrapassa R$ 20 milhões e a expectativa é que o valor avance pelo menos 50% até o final do ano.

A cifra engloba serviços prestados a empresas brasileiras e a multinacionais, em operação nos diversos elos da cadeia produtiva do setor de energia.

A estimativa de expansão, de acordo com Batista, se baseia nas perspectivas de crescimento do setor e do avanço das energias renováveis na matriz energética brasileira.

“Parcerias voltadas à instalação e evolução dessa indústria encontram-se firmadas ou em contatos avançados com empresas e instituições nacionais e estrangeiras de peso, a exemplo da CTG (chinesa), da Maersk (dinamarquesa), da TNO (holandesa) e da AEB (Agência Espacial Brasileira)”, disse o diretor regional do SENAI RN, acrescentando que há ainda, em meio a esse movimento, a manutenção e a evolução de projetos de pesquisa com a Petrobras, a Câmara EIC Trier e a GIZ (Alemã), entre outros parceiros.

A governadora Fátima Bezerra, presente à cerimônia, destacou que o governo do Rio Grande do Norte também faz parte dessa demanda. “O Instituto é a entidade executora da elaboração do Atlas eólico solar do Rio Grande do Norte, um projeto que está em curso e que está recebendo mais de R$ 2 milhões em investimentos”, observou ela durante discurso.

O Atlas, explicou a governadora, é um instrumento pautado na pesquisa que deverá apresentar até o próximo ano um mapeamento completo sobre o potencial de geração de energia eólica e solar em diferentes áreas do estado, como uma espécie de guia para atuais e futuros investidores.

“A chegada do ISI-ER só vem fortalecer cada vez mais esse mercado tão promissor. Esse Instituto significa tecnologia de ponta para que possamos avançar cada vez mais na produção das energias, trazendo desenvolvimento e geração de empregos”, analisou, afirmando que o Rio Grande do Norte tem assegurados, até 2026, ao menos R$ 7 bilhões em investimentos em energia eólica e R$ 2,3 bilhões em energia solar fotovoltaica.

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, avaliou a inauguração do Instituto em Natal como “momento ímpar na história” e como “um projeto de grande alcance social e desenvolvimentista”. “Se nós sonhávamos com esse tipo de energia, renovável, agora temos essa realidade, o futuro e o Instituto chega para contribuir com esse progresso”, analisou ele.

Impulso

Os Institutos Senai de Inovação trabalham em conjunto, formando uma rede multidisciplinar e complementar com atendimento em todo o território nacional.

Em depoimento gravado em vídeo, o presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga de Andrade, também ressaltou que o ISI-ER vai contribuir para a expansão das energias renováveis na matriz energética nacional, com o desenvolvimento da indústria potiguar e da indústria brasileira.

“A unidade”, lembrou ele, “faz parte do conjunto de 60 Institutos de Tecnologia e 27 Institutos de Inovação mantidos pelo Senai no Brasil, que formam a maior rede de pesquisa aplicada da América Latina”.

“Essa rede foi planejada com apoio de parceiros estratégicos, como a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), o Instituto Fraunhofer da Alemanha, o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), dos Estados Unidos, e os resultados alcançados por ela mostram que o Senai vem se consolidando como aliado decisivo para o Brasil dar o salto tecnológico necessário, para ter um papel de maior destaque no cenário internacional. Especialmente neste momento de recuperação da economia, depois da brutal recessão causada pela pandemia da Covid-19“, disse Andrade.

Laboratórios

Entre os diferenciais do ISI-ER, um dos destaques é o Túnel de Vento, primeiro laboratório do Brasil projetado para atender a demanda da indústria eólica.

O Túnel realiza pesquisas, desenvolvimento e prestação de serviços de calibração de anemômetros, instrumentos que medem velocidade e direção de ventos para o setor – e possibilita, ainda, avaliação de desempenho de estruturas e formas que precisam ser submetidas a diferentes intensidades de ventos.

O início da operação comercial do laboratório, nesta terça-feira, permitirá reduzir em pelo menos 3 meses o tempo de logística que as empresas gastam atualmente para realizar o serviço no exterior, em países como Alemanha e Espanha, explica o coordenador do ISI-ER, Antônio Medeiros.

O Túnel de Vento integra o chamado “Laboratório de energia eólica” e se soma a laboratórios nas áreas de energia solar e de sustentabilidade do Instituto. Os trabalhos são desenvolvidos por uma equipe de pesquisadores formada por engenheiros, meteorologistas, geógrafos e químicos, com o apoio de mestres e doutores bolsistas nessas áreas.

O Rio Grande do Norte – escolhido como sede – é o maior produtor de energia eólica do Brasil e também o estado com a maior potência prevista para os próximos anos. A expectativa, segundo Medeiros, é atender a demanda não só do estado, mas do Brasil inteiro. Rodrigo Mello, diretor do ISI-ER e do CTGAS-ER complementa: “Trata-se de um setor de rápido desenvolvimento e de uso intensivo de tecnologias e nosso trabalho tem a perspectiva de oferecer as respostas que a indústria requer, com tecnologias nacionais capazes de fazer a diferença no parque de produção”.

SOBRE O SENAI E OS INSTITUTOS SENAI DE INOVAÇÃO

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) é o maior complexo de educação profissional da América Latina e detentor da maior rede de institutos privados do Brasil para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) da indústria, a rede de Institutos Senai de Inovação.

Os Institutos começaram a ser implantados no Brasil há aproximadamente 9 anos e somam atualmente 26 unidades, distribuídas em 12 estados, de Norte a Sul do país.

Além de energias renováveis, que tem o ISI-ER como referência na rede, os Institutos englobam áreas como tecnologias minerais, microeletrônica, biomassa, metalmecânica, automação da produção, logística, tecnologias da informação e comunicação (veja a relação completa no mapa).

Os Institutos Senai de Inovação trabalham em conjunto, formando uma rede multidisciplinar e complementar com atendimento em todo o território nacional.

RAIO-X DO ISI-ER

O que: Instituto Senai de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER)

Atuação: Desenvolvimento de pesquisas aplicadas, de tecnologias e serviços nas áreas de energia eólica, solar e sustentabilidade.

Sede: Natal, capital do Rio Grande do Norte, estado brasileiro com a maior potência instalada e prevista para geração de energia eólica, e o 16º no ranking nacional de potência instalada para geração de energia solar, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) e da Associação Brasileira de Energia Solar, Absolar.

 

Investimento: R$ 15 milhões em obras e equipamentos, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

LABORATÓRIOS

Estão distribuídos em três grandes áreas.

Energia eólica

Laboratório de energia eólica

Laboratório de fabricação de materiais compósitos

Laboratório de ensaios de compósitos

Túnel de vento (primeiro laboratório do Brasil projetado para atender a demanda da indústria eólica).

Energia solar

Laboratório de energia solar

Laboratório de ensaios de módulos e inversores fotovoltaicos

Laboratório de calibração de radiômetros

Sustentabilidade

Laboratório de ensaios de óleos e lubrificantes

Laboratório de ensaios ambientais

Planta piloto de recirculação química

Planta piloto de microreação

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado