Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Mineração: Empreendedor verde vai preservar o meio ambiente, diz ministro de Minas e Energia

Para o presidente da Fiesp, Josué Gomes da Silva, o Brasil é uma potência em diversos segmentos econômicos, e não é diferente no campo da mineração. Modernizar a legislação do setor “permitirá que todos os empresários e também os investidores possam explorar toda a potencialidade da área mineral do Brasil”, disse ele durante a abertura do Fórum Brasileiro de Investimentos em Mineração, realizado na sede da Fiesp na quinta-feira (4/8).

Com o objetivo de promover investimentos em mineração no país, o evento promovido pela Rede InvestMining teve a participação do ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, que anunciou a criação do programa Empreendedor Verde, que buscará a valorização da mineração ambientalmente responsável e que traga impactos sociais positivos. “O que destrói o meio ambiente é a ilegalidade. O empreendedor verde vai preservar o meio ambiente”, afirmou o ministro.

O respeito ao meio ambiente aliado à geração de recursos para a sociedade, de acordo com Sachsida, será o norte para a área de mineração. Em relação à energia, o lema que deverá ser seguido é que o consumidor vem em primeiro lugar. “A energia precisa ser limpa, segura e barata”, de acordo com ele.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado

O recém-criado Conselho Nacional de Política Mineral foi citado por Sachsida como instrumento que reunirá membros de todos os ministérios com o intuito de destravar ideias, avançar sobre consensos e facilitar a viabilização de projetos. Em relação ao mercado financeiro, o ministro anunciou a criação de 14 novos instrumentos do mercado de capital e novos instrumentos para mineração e energia, nos mesmos moldes do Fiagro, bem como Letras de Risco de Seguro.

O diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha, ressaltou o momento de transição energética que o mundo atravessa. Disse que o nível de investimento a ser realizado nos próximos 15 anos será de mais de US$ 1,5 trilhão em mineração e que o Brasil precisa se preparar para o desenvolvimento de projetos, para os quais o acesso ao crédito é fundamental.

No entendimento do presidente da Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa Mineral (ABPM), Luis Mauricio Ferraiuoli Azevedo, o Brasil é muito bem-vindo, mas pouco entendido pelo investidor de mineração. “Temos não apenas potencialidade, mas principalmente a capacidade de fazer. E este evento ajudará a mostrar isso”, afirmou.

Por fim, o diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração  (IBRAM), Raul Jungmann, afirmou que a mineração brasileira é uma das maiores do mundo, com faturamento de R$ 339 bilhões no ano passado e contribuição de R$ 117 bilhões em impostos recolhidos, e que o setor tem compromisso com a sustentabilidade e a preservação.

“A questão ambiental, incluindo a descarbonização, é essencial para o futuro do Brasil. 73% na nossa produção é de ferro, o que é bom, mas é ao mesmo tempo um desafio. Precisamos identificar minerais críticos e fomentar o financiamento, inclusive para ter êxito em uma economia de baixo carbono”, concluiu

A informação é da Agência Indusnet Fiesp.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado