Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Rússia impõe restrições às exportações de combustíveis

Rússia
Foto: Reprodução/internet

O governo da Rússia impõe restrições a suas exportações. O país tomou medidas drásticas para enfrentar a escalada dos preços da gasolina e diesel em seu mercado doméstico. Nesta quinta-feira (21), anunciou a imposição temporária de restrições às exportações desses combustíveis, buscando estabilizar a oferta e evitar escassez. As razões por trás desse movimento e suas possíveis implicações estão sob os holofotes internacionais.

Manutenção do mercado interno

Nos últimos dias, o preço da gasolina na Rússia atingiu níveis sem precedentes, desencadeando preocupações sobre a disponibilidade do combustível. A combinação de fatores, incluindo a desvalorização do rublo e os aumentos nos preços do petróleo no mercado internacional contribuiu para essa situação.

Essa decisão acontece algumas semanas após Moscou ter estendido um corte voluntário nas exportações de petróleo, em coordenação com a Arábia Saudita. Desse modo, o objetivo é sustentar os preços globais do petróleo. A medida atual visa estabilizar os preços dos combustíveis internamente. Porém, detalhes sobre as restrições específicas ainda não foram divulgados.

Publicidade

De acordo com o ministério, as restrições têm o propósito de reduzir os preços nas bombas de gasolina em todo o país. A escassez de combustível tem impactado setores como a agricultura, onde falta de combustível para máquinas agrícolas.

De acordo com o Banco Central da Rússia, há um possível abrandamento do crescimento econômico no segundo semestre de 2023. Apesar dos desafios econômicos, as autoridades russas têm, em grande parte, minimizado os efeitos da guerra na Ucrânia, mantendo uma postura firme.

Possíveis reflexos da guerra

Algumas análises apontam para o temor de que a Rússia esteja tentando influenciar os mercados de energia para exercer pressão sobre os países aliados da Ucrânia, semelhante ao que aconteceu no início da guerra com o fornecimento de gás para a Europa.

O Kremlin declarou que essa proibição é “temporária” e visa enfrentar o aumento dos preços na Rússia, mas não estabeleceu um prazo específico para o seu término. No entanto, algumas exceções foram anunciadas, permitindo exportações para países da União Econômica Eurasiática e para fins de ajuda humanitária.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado