Pesquisar
Close this search box.

Sesc Ceará em consonância com a Declaração dos Direitos Humanos – por Isadora Catunda

Foto: Arquivo Pessoal

A Declaração Universal dos Direitos Humanos completou, no último dia 10 de dezembro, 75 anos. Adotado e proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas no ano de 1948, num cenário pós-Segunda Guerra Mundial, o documento busca assegurar a prevalência de direitos fundamentais do ser humano, a dignidade e a promoção do progresso social e de melhores condições de vida, entre outras demandas. Diretrizes essas que têm traçado o caminho de várias organizações sem fins lucrativos no Brasil e no mundo.

Coincidência ou não, o Serviço Social do Comércio (Sesc) Ceará foi fundado em maio daquele mesmo ano e desde então tem atuado em consonância com o que definiu o evento da ONU. Especialmente no que se refere a ações de sua área de Desenvolvimento Comunitário, de seu Programa Assistência, que tem atuando diretamente nas periferias de Fortaleza e da Região Metropolitana ao levar atividades sistemáticas ou pontuais que contribuem para o fortalecimento dos territórios. Através de cada projeto sistemático, são trabalhadas diversas temáticas sociais que contribuem para o debate da garantia de direitos humanos.

Foto: Viktor Braga/Sesc Ceará

Confira, a seguir, algumas dessas atividades, voltadas para públicos de diversas idades, desempenhadas pelo Desenvolvimento Comunitário do Sesc durante o ano de 2023:

Projeto Ancestralidades: Debates acerca das questões raciais que permeiam os espaços sociais e coletivos e que afetam os indivíduos que vivenciam o racismo diariamente. As atividades são voltadas para o público adolescente/jovem e buscam incentivar o debate acerca das origens da nossa população através de elementos da cultura e outros;

Projeto Amarelinha: Voltado para crianças e para a disseminação do Estatuto da Criança e do Adolescente de forma lúdica, através de uma linguagem que possa ser compreensível para elas e para que possam se tornar multiplicadores;

Projeto Mãos que Costuram Vidas: Especificamente voltado para mulheres a partir de 16 anos e visa trabalhar os direitos das mulheres através de atividades educativas e vivências em espaços culturais e de proteção da cidade;

Projeto Olhares Comunitários: Voltado para o público geral, tem como objetivo estimular a elaboração de um projeto de intervenção social feito pelos próprios participantes. Eles identificam uma necessidade na comunidade e elaboram um projeto para executar. O projeto não pode ser voltado para demandas estruturais (asfalto, construção, reforma etc) e, sim, para ações que gerem um movimento no local (feiras, eventos, ações etc);

Projeto Pensando Verde: Trabalha as questões que envolvem a interação do ser humano com o meio ambiente e a cidade como um todo. Conhecimentos acerca da fauna e flora local, vivências em espaços verdes da cidade.

Rede de Articulação Comunitária Sesc (RACS): É o projeto guarda-chuva do Desenvolvimento Comunitário, sendo o espaço onde nos organizamos em conjunto com as lideranças comunitárias para realizar os projetos, atividades e eventos. Com as lideranças, também temos atividades formativas que possam contribuir para a atuação nos territórios deles. Também é o espaço onde nos reunimos com as artesãs voluntárias para fortalecer o empreendedorismo.

*Opinião – por Isadora Catunda, supervisora do Desenvolvimento Comunitário no Sesc
**Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado