Janeiro 2024: exportações brasileiras em alta

exportações
Imagem: Divulgação / Ministério da Agricultura e Pecuária

No mês de janeiro deste ano, o Brasil teve um salto histórico nas exportações. Os números superam as expectativas anteriores. As exportações brasileiras somaram US$ 27,02 bilhões, ou seja, um crescimento de 18,5% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

O destaque vai para a indústria extrativa, que liderou o aumento de 53,3%, atingindo  US$ 8,16 bilhões. Minérios de cobre e ferro, além de óleos brutos de petróleo, foram os principais impulsionadores do crescimento. A agropecuária também teve um bom desempenho, com um aumento de 21%, principalmente pela exportação de soja, algodão bruto e café.

 

Confira na tabela os detalhes
SetorCrescimento
Indústria Extrativa53,3%
– Minérios de cobre e seus concentrados100,9%
– Minério de ferro e seus concentrados56,9%
– Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus53,4%
Agropecuária21%
– Soja191,1%
– Algodão bruto106,5%
– Café não torrado17,9%
Indústria da Transformação4,6%
– Açúcares e melaços88,5%
– Farelos de soja e outros alimentos para animais30,7%
– Farinhas de carnes e outros animais20,6%
Queda nas importações

Enquanto as exportações dispararam, as importações tiveram uma leve queda de 0,1%, totalizando US$ 20,49 bilhões. O declínio nas importações foi liderado pela indústria extrativa, que registrou uma redução de 27,6%. Por outro lado, a indústria de transformação viu um aumento modesto de 2,4%.

O saldo da balança comercial brasileira atingiu um novo recorde para o mês de janeiro, alcançando um superávit de US$ 6,53 bilhões. O número representa um salto de 185,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. A corrente de comércio, que é a soma das exportações e importações, atingiu US$ 47,5 bilhões, com um crescimento de 9,7%.

Produtos com maior redução nas importações:
SetorProdutoRedução
AgropecuáriaCevada não moída-55,6%
Cacau em bruto ou torrado-47,1%
Milho não moído, exceto milho doce-35,3%
Indústria ExtrativaMinérios de cobre e seus concentrados-100%
Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado-13,4%
Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos crus-41,8%
Indústria de TransformaçãoCompostos organo-inorgânicos, compostos heterocíclicos, ácidos nucléicos e seus sais, e sulfonamidas-32,5%
Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários-16,3%
Adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos)-27,5%
Impacto

As exportações para os principais parceiros comerciais do Brasil também apresentaram um crescimento. Destacam-se as vendas para China, Hong Kong e Macau, que aumentaram em 53,1%, e para os Estados Unidos, com um aumento de 26,8%. Cresceram também as vendas para África, em 27,5% e no Oriente Médio, em 42,5%. No entanto, as importações de produtos argentinos e da União Europeia registraram uma queda de 3,2% e 1,4%, respectivamente.

Os números registrados pela balança comercial brasileira em janeiro de 2024 refletem a resiliência e a competitividade da economia do país em meio a um cenário global desafiador. O desempenho robusto nas exportações, combinado com uma leve queda nas importações, contribuiu para o saldo comercial positivo e para o fortalecimento da posição do Brasil no comércio internacional.

Receba as últimas notícias do Economic News Brasil no seu WhatsApp e esteja sempre atualizado! Basta acessar o nosso canal: CLIQUE AQUI!

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado