Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Brasileiros deixam de sacar bilhões, afirma Banco Central

Banco Central do Brasil - Agência Brasil - Copom - BC - Ata Copom
(Imagem: Marcello Casal/Agência Brasil)

O Banco Central do Brasil revelou nesta sexta-feira (5) que os brasileiros ainda não sacaram aproximadamente R$ 7,79 bilhões em recursos esquecidos no sistema financeiro até o fim de fevereiro. Desde o início do programa, as instituições financeiras disponibilizaram um total de R$ 14,02 bilhões para resgate, dos quais apenas R$ 6,23 bilhões foram reivindicados até o momento.

Os dados do Sistema de Valores a Receber (SVR) são divulgados com dois meses de defasagem. Até o final de fevereiro, 19.037.033 correntistas já haviam resgatado valores, representando apenas 30,19% do total de 63.064.184 correntistas incluídos na lista desde o início do programa, em fevereiro de 2022.

Dos beneficiários que já realizaram o resgate, 18.044.139 são pessoas físicas e 992.894 são pessoas jurídicas. Por outro lado, ainda permanecem sem resgatar os valores 40.853.231 pessoas físicas e 3.173.920 pessoas jurídicas.

conteúdo patrocinado

A maioria dos valores não resgatados corresponde a quantias pequenas. Por exemplo, 63,48% dos beneficiários têm direito a valores de até R$ 10. Já 25,14% têm direito a valores entre R$ 10,01 e R$ 100. Apenas 1,72% têm direito a receber mais de R$ 1 mil.

Após um período de quase um ano fora do ar, o SVR foi reaberto em março de 2023, trazendo consigo novas fontes de recursos, um sistema de agendamento atualizado e a possibilidade de resgate de valores de pessoas falecidas. Em fevereiro, os resgates totalizaram R$ 215 milhões. Uma queda em relação ao mês anterior, quando os resgates alcançaram R$ 244 milhões.

Sistema de Valores a Receber (SVR)

A atual fase do SVR introduziu diversas melhorias, incluindo a possibilidade de imprimir telas e protocolos de solicitação para compartilhamento no WhatsApp, bem como a inclusão de todos os tipos de valores previstos na norma do SVR. Além disso, implementamos uma sala de espera virtual, permitindo que todos os usuários consultem seus valores no mesmo dia, sem precisar seguir um cronograma baseado no ano de nascimento ou na fundação da empresa.

Outra melhoria é a possibilidade de consulta a valores de pessoas falecidas, com acesso concedido a herdeiros, testamentários, inventariantes ou representantes legais. Da mesma forma que nas consultas a pessoas vivas, o sistema fornece informações sobre a instituição responsável pelo valor e a faixa de valor. Além disso, para contas conjuntas, houve um aumento na transparência, permitindo que, ao solicitar o resgate de um valor esquecido, ambos os titulares visualizem informações relevantes, como valor, data e CPF do solicitante.

Diversificação das fontes de recursos

O SVR também ampliou as fontes de recursos, incluindo contas de pagamento pré ou pós-pagas encerradas, contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras encerradas, e outros recursos disponíveis nas instituições para devolução. As novas inclusões se somam aos valores já disponíveis para saque no ano passado, como contas-corrente ou poupança encerradas, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de ex-participantes de cooperativas de crédito, recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados, tarifas cobradas indevidamente, e parcelas ou despesas de operações de crédito cobradas indevidamente.

Alerta sobre golpes

O Banco Central alerta os correntistas sobre golpes de estelionatários que se passam por intermediários para supostos resgates de valores esquecidos. O BC enfatiza que todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos, e que não envia links nem entra em contato para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais.

É importante ressaltar que apenas a instituição financeira que aparece na consulta do Sistema de Valores a Receber pode contatar o cidadão. O BC reitera a importância de não fornecer senhas a terceiros e esclarece que nenhuma instituição está autorizada a solicitar tais informações.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado