Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Petrobras encontra petróleo na Bacia Potiguar, a 190 km de Fortaleza

Petrobras acha petróleo na Bacia Potiguar, a 190 km de Fortaleza
O poço está localizado próximo à fronteira entre o Ceará e o Rio Grande do Norte (Agência Petrobras/Divulgação)

A Petrobras (PETR4) comunicou nesta terça-feira (9) a descoberta de petróleo no poço exploratório Anhangá, localizado na Bacia Potiguar. Esse achado ocorre em águas ultra profundas, mais precisamente a uma profundidade d’água de 2.196 metros, na região próxima à fronteira dos estados do Ceará e Rio Grande do Norte. O local se encontra a aproximadamente 190 km de Fortaleza e 250 km de Natal, na Margem Equatorial brasileira.

Esta representou a segunda localização de petróleo na Bacia Potiguar apenas em 2024, sucedendo a confirmação de hidrocarboneto no Poço Pitu Oeste, que está cerca de 24 km distante de Anhangá. A empresa salientou a importância destas descobertas.

“Tais descobertas ainda merecem avaliações complementares. As atividades exploratórias na Margem Equatorial representam mais um passo no compromisso da Petrobras em buscar a reposição de reservas e o desenvolvimento de novas fronteiras exploratórias que assegurem o atendimento à demanda global de energia durante a transição energética”, disse em comunicado.

conteúdo patrocinado

A exploração na Margem Equatorial, segundo a Petrobras, reafirma o empenho da empresa em repor reservas e desenvolver novas áreas exploratórias. Essas iniciativas visam atender à demanda global de energia em um período de transição energética. A empresa reiterou seu compromisso com a excelência, a segurança das operações e o respeito ao meio ambiente, mencionando que a recente campanha exploratória foi concluída sem incidentes.

A Margem Equatorial abrange uma extensão litorânea superior a 2.200 quilômetros, indo do Amapá ao Rio Grande do Norte. A Petrobras enfatiza que as novas reservas de óleo e gás desempenham um papel estratégico para a segurança energética e soberania nacional, além de serem fundamentais no contexto de uma transição energética justa.

Adicionalmente, a empresa apontou para a necessidade de diversificação energética. Destacou a relevância do aumento da oferta de gás natural e da descarbonização das operações para o fortalecimento da segurança energética do país. A Petrobras alertou que, sem a incorporação de novas reservas e mantendo-se a demanda atual, o Brasil poderia se tornar um importador líquido de petróleo.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado