Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Banqueiro paga milhões em multa por desistir de novo emprego

Banqueiros pagam milhões em multas por desistir de novos empregos
(Foto: Divulgação/ Jefferies Financial Group Inc.).

A oferta de quase US$10 milhões do Jefferies Financial Group Inc ao ex-especialista do Credit Suisse Group AG, Dean Decker, vinha com uma condição: uma multa de US$4 milhões caso ele recuasse antes do início do emprego. Após optar por não assumir a posição, Decker deu início a um longo processo legal que ainda perdura.

Um tribunal de apelação federal na Califórnia está revisando a legalidade dessa estratégia do grupo financeiro. Durante uma audiência no dia 12 de abril, a maioria dos juízes mostrou dúvidas sobre as justificativas de Decker.

Esse caso poderá redefinir as estratégias de contratação em diversas indústrias, particularmente na Califórnia, onde ocorreu a contratação. A disputa também destaca o risco financeiro que profissionais assumem ao tentar negociar melhores condições com seus empregadores atuais após receberem uma nova oferta.

conteúdo patrocinado

Mecanismos de retenção são comuns entre os bancos de Wall Street, que frequentemente buscam recuperar compensações de funcionários que deixam a empresa. A tática utilizada pelo grupo Jefferies, semelhante à adotada por fundos de hedge, pode resultar em prejuízos milionários para funcionários que desistem de posições antes mesmo de receberem o primeiro pagamento.

 

Documentos judiciais revelam intensas negociações e estratégias para reter talentos no setor financeiro. O CEO da empresa, Richard Handler, demonstrou empenho em convencer Decker, destacando-se em mensagens como um líder determinado a fortalecer sua equipe.

Decker, agora com 55 anos, não comenta sobre o processo, mantendo-se distante da mídia, assim como representantes do Jefferies.

Central para a controvérsia é a cláusula de “danos liquidados”, que estipula uma quantia fixa a ser paga se o acordo não for cumprido. Um alto executivo da empresa defendeu a cláusula, justificando o alto custo e o esforço envolvido na contratação de profissionais qualificados.

A presença dessas cláusulas tem crescido no setor financeiro, segundo advogados de emprego. Ross Intelisano, sócio fundador do escritório de advocacia Rich, Intelisano & Katz em Nova York, comentou sobre a agressividade dessa prática no setor. “Não consigo me imaginar recomendando a um funcionário que assine isso.”, disse ao Bloomberg.

A interação entre Decker e seus colegas revelou hesitação sobre a mudança para o Jefferies, com Decker expressando que usaria a proposta como alavanca para melhorar sua posição no Credit Suisse.

No dia 2 de janeiro, Decker assistiu ao jogo Rose Bowl antes de se dirigir ao escritório do Jefferies em Los Angeles, onde foi recebido por uma equipe de banqueiros e advogados. Ele assinou uma carta de oferta que garantia cerca de U$10 milhões em compensações para o primeiro ano e adicionais U$2 milhões para o subsequente.

Após tentativas fracassadas de arbitragem, o caso foi levado aos tribunais. A defesa do grupo financeiro argumentou que Decker se beneficiou da oferta, o que resultou em um aumento de salário e promoção. O UBS Group AG, que recentemente adquiriu o Credit Suisse, assumiu as responsabilidades legais e os danos financeiros atribuídos a Decker decorrentes deste caso.

O desfecho dessa disputa legal poderá estabelecer um precedente importante para a contratação e retenção de talentos na Califórnia e além.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado