Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

BNDES apoia empresas do RS com suspensão de crédito

BNDES
(Imagem: divulgação: BNDES)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) comunicou na quinta-feira (9) um pacote de medidas para apoiar empresas do Rio Grande do Sul. As empresas com operações de crédito junto ao banco poderão solicitar a suspensão, por até 12 meses, dos pagamentos previstos em contrato. O BNDES anunciou a decisão durante a divulgação dos resultados financeiros do primeiro trimestre de 2024.

Aloizio Mercadante, presidente do BNDES, destacou o compromisso da instituição em contribuir para a recuperação do Rio Grande do Sul, especialmente após os recentes desastres naturais. “O aquecimento global está avançando, tornando os eventos climáticos extremos cada vez mais frequentes. Precisamos pensar estrategicamente no futuro e agir com medidas de pronta resposta,” declarou.

Marcelo Porteiro, superintendente de operações e canais digitais, explicou que todas as empresas sediadas no estado poderão solicitar a suspensão dos pagamentos até 31 de outubro. Cerca de 56 mil operações de crédito, predominantemente envolvendo micro, pequenas e médias empresas, serão elegíveis para o benefício. Após o período de suspensão, as empresas terão duas opções: diluir os valores nas parcelas restantes ou estender o contrato por mais um ano.

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
Iniciativa 

Outra iniciativa anunciada foi a alocação de R$ 500 milhões ao fundo garantidor FGI Peac Crédito Solidário, que facilita o acesso ao crédito para micro, pequenas e médias empresas e microempreendedores individuais (MEI). Portanto, o fundo assegura até 80% das operações, incentivando os bancos a concederem até R$ 5 bilhões em empréstimos. “Isso vai permitir que o crédito flua no Rio Grande do Sul nesse momento crítico,” afirmou Aloizo Mercadante.

Além disso, o BNDES propôs ao governo federal a flexibilização temporária das exigências de regularidade tributária para acesso ao crédito junto a bancos públicos, como Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Então, o governo federal deve implementar a proposta nos próximos dias por meio de medida provisória.

Por fim, Aloizo Mercadante também ressaltou que as áreas mais críticas de investimento no estado são em rodovias e internet banda larga.

Saiba mais:

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado