Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Copom: redução da Selic gera instabilidade no dólar e na bolsa

Dólar - Investimento estrangeiro - selic - Copom - Petrobras
(Imagem: Pixabay)

A divisão no Comitê de Política Monetária (Copom) sobre o ritmo de cortes na taxa Selic gerou instabilidade no mercado financeiro, impactando o dólar e a bolsa. Na quinta-feira (9), o dólar comercial fechou em alta, sendo vendido a R$ 5,142, um aumento de R$ 0,075 (+1,01%). A moeda chegou a atingir R$ 5,17, mas desacelerou perto do fim das negociações. Apesar da valorização, acumula uma queda de 0,95% em maio, mas uma alta de 5,96% em 2024.

O índice Ibovespa também sentiu os efeitos da incerteza, encerrando o dia com uma queda de 1%, aos 128.188 pontos. Setores ligados ao consumo, como varejistas e companhias aéreas, além de bancos, foram os mais afetados.

A reunião dividida do Copom, que reduziu a Selic em apenas 0,25 ponto percentual, por 5 votos a 4, não foi bem recebida pelos investidores. O temor é que o Banco Central do Brasil suavize o combate à inflação após os quatro diretores nomeados pelo governo atual votarem por um corte mais agressivo de 0,5 ponto. A decisão foi desempatada pelo atual presidente, Roberto Campos Neto, que favoreceu um corte menor.

conteúdo patrocinado

Saiba mais:

A mudança no ritmo dos cortes prejudicou a bolsa. Os investidores preferiram desacelerar os investimentos em ações e migrar para a renda fixa, que oferece menos riscos. Por fim, depois de seis cortes consecutivos de 0,5 ponto percentual na taxa Selic, a redução para 0,25 ponto na quarta-feira (8) confirmou as preocupações do mercado.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado