Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Conab define preço fixo e logomarca do governo no arroz importado

Limite de compra por pessoa visa estabilidade de preço

Conab define preço fixo e logomarca do governo no arroz importado
(Foto: Reprodução/Agência Brasil).

O governo federal, por meio de uma portaria divulgada nesta terça-feira, concedeu autorização à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para importar 300 mil toneladas de arroz. O objetivo central dessa ação é estabilizar o preço do alimento no mercado nacional, fixando o valor de venda ao consumidor em R$ 4,00 por quilograma. Para assegurar que o maior número possível de consumidores se beneficie, o governo impôs um limite de compra por pessoa.

Desafios climáticos

A decisão surge em resposta aos desafios enfrentados no Rio Grande do Sul, que produz cerca de 70% do arroz nacional. As enchentes devastadoras na região causaram perdas significativas na estocagem e impuseram obstáculos no escoamento do produto para outras partes do Brasil. Estes problemas exacerbaram a necessidade de medidas urgentes para garantir o abastecimento e evitar uma escalada nos preços.

 

Publicidade

Aumento observado nos preços do varejo

De acordo com dados da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o período de 25 de abril a 28 de maio registrou um aumento de 11,31% no preço do arroz tipo 1, com o pacote de 5kg subindo de R$ 22,90 para R$ 25,49. Este aumento reforça a necessidade da medida de controle de preços implementada pelo governo. A portaria limita os fundos destinados à compra do arroz a R$ 1,7 bilhão e fixa os recursos para a equalização de preços em até R$ 630 milhões.

Procedimentos para a distribuição e venda

O governo federal direcionará o arroz importado, que carregará sua logomarca, a uma variedade de pontos de venda, incluindo pequenos varejistas e mercados locais, bem como grandes supermercados e atacarejos. A distribuição do produto tem o intuito de alcançar extensivamente as áreas metropolitanas e garantir a disponibilidade em todo o país. Assim, a comercialização será realizada através de leilões públicos organizados pela Conab, que estarão interligados às bolsas de mercadorias.

Portanto, através destas iniciativas, o governo espera mitigar os efeitos da volatilidade de mercado e promover a equidade no acesso ao arroz. As medidas adotadas seguem as diretrizes das medidas provisórias assinadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado