Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Lauro Chaves Neto toma posse como conselheiro do Cofecon para o triênio de 2022-2024

O renomado economista possui há quase 30 anos uma empresa de consultoria, que atua na área pública e privada, e também é assessor econômico da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Sistema FIEC).

Na noite desta quinta-feira, 27, o economista, Lauro Chaves Neto toma posse como conselheiro do Conselho Federal de Economia (Cofecon), para o triênio de 2022-2024. A solenidade de posse ocorre em Brasília e marca o retorno do economista Antônio Corrêa de Lacerda à presidência, e a posse de Paulo Dantas da Costa como vice-presidente do Conselho.

Lauro Chaves Neto, é economista, mestre em Administração de Empresas, e tem PDH em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Barcelona. Possui há quase 30 anos uma empresa de consultoria, que atua na área pública e privada, e também é assessor econômico da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Sistema FIEC).

O economista comenta que se sente honrado em ter sido reeleito para o cargo de conselheiro e fala sobre os projetos que tem para o Cofecon para os próximos anos. “Como economista, o dia de hoje é muito importante porque nos traz uma responsabilidade muito grande para os próximos três anos de antecipar muito dos debates de economia que são feitos de diversos fóruns, com bancos, com congressos, com o poder executivo, com o setor produtivo. É um dia especial para toda a classe de economistas brasileiros e em especialmente em particular eu me sinto muito honrado de ter sido reeleito para essa função.”, relata.

Publicidade

“Nós estamos nos encaminhando hoje para o triênio 2022-2024. É uma honra muito grande ter sido reeleito. Eu tive o primeiro mandato que se encerrou em 2021, e nesse mandato nós coordenamos a comissão desenvolvimento regional onde se debate todos os temas que tem a ver com o desenvolvimento da região Nordeste, o desenvolvimento do estado do Ceará, do estado do Rio Grande do Norte, de como nós podemos reduzir as desigualdades regionais, desigualdades territoriais e sociais que constituem um dos mais graves problemas que nós temos no Brasil”, informa.

Além disso, Lauro Chaves Neto comenta que o Conselho de Economia, com as mudanças no sistema educacional brasileiro, além da graduação em Economia, também reúne os graduados dos cursos de Finanças, de Comércio Exterior e de Relações Internacionais. “Nós temos uma vasta atuação tanto na área pública como na área privada. Na área privada, atuamos na gestão financeira, no planejamento estratégico, no orçamento das empresas, na gestão de custos, e na área pública, atuamos nos planos de desenvolvimento, nos planos diretores municipais, no orçamento público, nas finanças públicas”, comenta.

Questionado sobre os desafios para o próximo triênio, o conselheiro do Cofecon informa que o trabalho será voltado para a retomada do desenvolvimento da economia brasileira. Lauro Chaves Neto explica que a economia já vinha de uma rejeição histórica entre os anos de 2014 a 2016. entre 2018 e 2019, foi registrada uma leve recuperação econômica, diante de um profundo ajuste das contas públicas. No entanto, quando pensou-se na possibilidade aceleração da economia, ocorreu a pandemia.

“Temos uma desafio muito grande para o próximo triênio de trilhar a retomada da economia brasileira, de entender como os economistas podem contribuir para esse debate. Fazer uma análise crítica e propositiva para encontrar soluções adequadas às desvantagens competitivas e aos diferenciais que as economias brasileiras têm. Além disso, nós temos à frente do conselho de economia duas áreas muito claras de atuação: uma na comissão de desenvolvimento regional e outra no grupo de trabalho do empreendedorismo. São os dois eixos que nós pretendemos trabalhar e contribuir para a classe dos economistas para o próximo triênio”, conclui.

Cada conselheiro permanece no mandato por três anos

O Conselho Federal de Economia é o órgão máximo que regula e norteia e direciona a profissão do economista em todo o Brasil. Em cada estado, existem os Conselhos Regionais de Economia que são ligados ao Conselho Federal de Economia.

É no Conselho Federal onde são definidas as diretrizes para a profissão, onde são feitos os parâmetros para atuação profissional do economista e onde são debatidos os grandes temas da economia nacional e regional. “Desta forma é institucionalmente muito relevante participar desse fórum de debate como um dos 18 conselheiros efetivos”, frisa Lauro Chaves Neto.

Dos 18 conselheiros afetivos, cada um tem um mandato de três anos e eles são eleitos de forma nacional pelos delegados e eleitores de cada estado, que são eleitos diretamente pelos economistas em todo o território nacional.

“Lauro Chaves Neto é um dos mais destacados economistas brasileiros da atualidade. Ganha a Cofecon e seus profissionais com a presença do conselheiro federal cearense justamente no momento tão delicado da nossa economia”, disse Jackson Pereira Jr., CEO do Economic News Brasil.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado