Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Conheça a espécie invasora que preocupa o Sul do Brasil

Espécie invasora
(Imagem: reprodução)

A presença do Cervo Axis, também conhecido como Chital, originário das florestas da Índia, Sri Lanka e Nepal, tem se expandido nas últimas décadas. O cervo, espécie invasora foi introduzida na Argentina e no Uruguai por volta de 1930, inicialmente em fazendas de caça, e agora é visto em diversos estados do Sul do Brasil.

De acordo com Márcio Leite de Oliveira, pesquisador da UNESP, os primeiros registros do Chital no Brasil remontam a 2009, quando animais migraram para o Parque Estadual do Espinilho, no Rio Grande do Sul. Desde então, a presença tem se manifestado em outras áreas. Entre eles, zonas urbanas e até mesmo praias gaúchas, assim como no Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná, e em Santa Catarina.

No entanto, a expansão desse cervo não tem sido isenta de problemas. Na Argentina, a província de Corrientes enfrenta sérias questões relacionadas à proliferação descontrolada dessa espécie. Em 2023, o governo local declarou o Chital como uma praga. Então, autorizou a caça seletiva como medida de controle. A preocupação com os impactos sobre os ecossistemas locais e a competição por recursos alimentares com espécies nativas, como o veado-campeiro e o cervo-do-pantanal, tem sido uma motivação central para essa iniciativa.

conteúdo patrocinado

Gustavo Solís, veterinário da Fundação Rewilding Argentina, expressou a inquietação com a recente migração de uma manada de veados para a zona urbana de Goya, Corrientes. Ele alertou para os riscos associados à presença desses animais, destacando a capacidade de transmissão de doenças, competição com a fauna local e potenciais acidentes rodoviários devido ao movimento em grandes rebanhos.

Alerta 

No Brasil, a situação não é menos preocupante. A ausência de predadores naturais e o clima favorável têm permitido que o Chital se estabeleça e se reproduza com relativa facilidade. O pesquisador da UNESP enfatiza que, embora ainda não haja estudos completos sobre o impacto dessa espécie no país, os potenciais problemas vão desde a competição por recursos com espécies nativas até os riscos de acidentes de trânsito em áreas urbanas.

Rio Grande do Sul

Diante desse cenário, o Estado do Rio Grande do Sul tomou medidas em 2022 para controlar a população do cervo. Através da portaria 109/2022, o governo autorizou a caça do Chital dentro de unidades de conservação. A caça é mediante um cadastro prévio junto à Divisão de Unidades de Conservação (DUC). A medida visa conter o crescimento descontrolado da espécie, seguindo o modelo adotado para o javali-europeu. Atualmente, é a única espécie exótica com permissão de caça no Brasil.

A presença do Cervo Axis no Brasil representa um desafio complexo que requer uma abordagem cuidadosa e coordenada. Monitoramento constante, pesquisa adicional e ações de gestão são essenciais para mitigar os impactos negativos e garantir a preservação dos ecossistemas locais.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado