Pesquisar
Close this search box.
conteúdo patrocinado

Brasil pretende exportar US$ 2 bilhões em frutas anualmente

Frutas
(Imagem: Jonas Kakaroto/Pexels)

Exportações brasileiras de frutas estão prestes a atingir um marco histórico. Guilherme Coelho, presidente da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), prevê que o país exportará US$ 2 bilhões em frutas anualmente dentro dos próximos três a quatro anos. O avanço é importante, considerando que o Brasil levou décadas para alcançar a marca de US$ 1 bilhão em exportações de frutas, atingindo-a pela última vez em 2008 e novamente em 2019, quando exportou 1,1 milhão de toneladas, totalizando US$ 1,349 bilhão.

O presidente atribui esse crescimento à crescente demanda global por frutas. Ele menciona que recentemente o mercado de abacate, tangerina e lima foi aberto para a Índia, que tem uma população de 1,4 bilhão de habitantes. Além disso, destaca que o mercado de uvas está previsto para abrir na China, também com uma população de 1,4 bilhão. Atualmente, o Brasil destina 70% das exportações de frutas à União Europeia, que possui uma população de 500 milhões de habitantes.

Fruit Attraction

Para impulsionar ainda mais as exportações, São Paulo sediou a primeira edição fora da Europa da Fruit Attraction, organizada pela IFEMA (Instituição de Feiras de Madrid). O evento contou com a participação de 300 marcas de 45 países visitantes e 14 países expositores, incluindo empresas de 8 estados brasileiros. Maurício Macedo, CEO da Fiera Milano Brasil, destacou a participação da feira, que resultou em cerca de 1.000 rodadas de negócios e 20 horas de evento no Fruit Fórum, envolvendo mais de 100 co-expositores e produtores locais.

conteúdo patrocinado

A Abrafrutas, que atualmente tem 92 associados responsáveis por 78% das exportações de frutas do Brasil, foi uma das principais instituições brasileiras presentes. A Apex-Brasil também desempenhou um papel fundamental com o Programa de Compradores Internacionais, destacando a importância de eventos como a Fruit Attraction para impulsionar a cultura exportadora do país.

Laudemir André Müller, analista de negócios internacionais da ApexBrasil, enfatizou a necessidade do Brasil desenvolver uma maior cultura exportadora, especialmente no setor de frutas frescas, que demandam tecnologia avançada. As negociações iniciadas na Fruit Attraction têm potencial para gerar R$ 1 bilhão em negócios ao longo de um ano.

Jaime Martin Bernard, diretor de expansão internacional da IFEMA Madrid, expressou otimismo em relação ao futuro da feira no Brasil, indicando que o espaço da mostra poderá dobrar para 20 mil metros quadrados até 2025. A escolha do Brasil como sede reflete o potencial de crescimento do país neste setor.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado