Pesquisar
Close this search box.
Publicidade
Publicidade
X
Publicidade
X

Dona da Pringles quer triplicar presença dos produtos no Nordeste

Kellanova planeja quintuplicar pontos de venda de Pringles no Nordeste

Dona da Pringles quer triplicar presença dos produtos no Nordeste
(Foto: Divulgação/Pringles).

A gigante americana dos snacks, anteriormente conhecida como Kellogg e agora como Kellanova, anunciou um plano ambicioso para aumentar drasticamente a disponibilidade de seus produtos Pringles e Cheez-It nos estados do Nordeste. A estratégia visa expandir de 7 mil para 25 mil o número de pontos de venda na região.

Este movimento ocorre após a empresa investir R$ 250 milhões para duplicar a capacidade de produção de Pringles na sua fábrica de São Lourenço do Oeste, em Santa Catarina. Desde 2019, quando começou a produção local de Pringles, a Kellanova viu suas vendas no Brasil quintuplicarem.

Alberto Raich, gerente geral da Kellanova no Brasil, afirmou ao O Globo: “O Nordeste apresenta um grande potencial de crescimento incremental. Temos como objetivo dobrar o tamanho de Pringles na região, além de crescer duplo dígito com o portfólio de Kellanova”.

Publicidade

Produção local impulsiona crescimento

Pringles, predominantemente percebida como um produto importado até poucos anos atrás, começou sua produção local em 2019. Com a expansão da fábrica no ano passado, 98% das Pringles vendidas no país são de produção nacional, o que também permite exportações para países vizinhos como Uruguai, Paraguai, Argentina e Chile.

A adaptação ao paladar brasileiro foi um ponto central. “Antes era tudo importado. Era um excelente produto, mas não estava otimizado para o Brasil. Com a fábrica pudemos mudar a fórmula”, disse Raich ao UOL. Isso não só atendeu ao gosto brasileiro mas também melhorou a competitividade da marca em termos de preço e agilidade logística.

Em 2023, as vendas de Pringles no Brasil cresceram 34%, um número superior à média de crescimento do segmento de batatas chips, que foi de 10,3% ao ano nos últimos cinco anos, gerando R$ 3,7 bilhões em vendas.

Mercado de snacks

O mercado de salgadinhos no Brasil é dominado pela Pepsico, proprietária das cinco principais marcas da categoria. Pringles, apesar de ser uma das cinco maiores no segmento de batatas chips, enfrenta uma forte concorrência.

A estratégia de distribuição é uma das chaves para o sucesso da Pringles, como Raich explica: “Queremos que a Pringles esteja presente não apenas em grandes lojas, mas também em locais como minibares de hotéis e pequenos comércios”. A parceria com a Bauducco é um dos pilares dessa estratégia de distribuição.

A embalagem icônica em lata da Pringles é vista como uma vantagem competitiva. “Temos esse ícone do ‘pop’ ao abrir a lata. É uma experiência única”, afirmou o gerente geral. A marca também planeja lançar novos sabores e formatos, aproveitando a flexibilidade que a produção local oferece. Atualmente, a Pringles oferece dois formatos no Brasil, enquanto no mundo existem seis.

Com esses planos, a Kellanova busca solidificar e expandir a presença de suas marcas no mercado brasileiro, especialmente no Nordeste, aproveitando a estrutura local e as preferências dos consumidores para acelerar o crescimento e a penetração de mercado.

conteúdo patrocinado

MAIS LIDAS

conteúdo patrocinado
conteúdo patrocinado